Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Dificuldade de encontrar roupas retrô cria oportunidade

Cherry Pie e Vudu! vendem peças com inspiração em décadas passadas

Gisele Tamamar, Estadão PME,

01 de março de 2013 | 06h41

O interesse pela moda das décadas passadas foi o ponto de partida para a abertura de duas lojas ligadas ao estilo retrô. Uma delas é a Cherry Pie, localizada na Galeria Ouro Fino, em São Paulo, mas que também vende pela internet. O negócio foi criado pela empresária Livia de Oliveira Schurr, de 28 anos, em parceria com a mãe e uma prima. “A ideia de abrir a empresa foi mais por gosto. Sempre me vestia nesse estilo e sempre fiz muita roupa pra mim. Não é fácil de achar uma moda diferente, que não caia no clichê”, destaca Livia, formada em negócios da moda.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A Cherry Pie costuma vender peças inspiradas nas décadas de 50 e 60 – saias rodadas, corset (espartilho) sob medida e acessórios, como por exemplo os colares de pérola.

Livia lança as tradicionais coleções de verão e inverno, mas por conta do movimento, sempre aposta em novas criações para oferecer às clientes pelo menos uma peça diferente por semana. As roupas são desenvolvidas por Livia e sua mãe, Izabel Cristina de Oliveira Schurr.

“Buscamos muitas referências de roupas antigas e moldes da década de 50. Nosso perfil de cliente é variado. Vendemos o mesmo vestido para uma menina de 13 anos e para uma senhora de 50. São peças femininas, que não são vulgares”, destaca Livia.

Inaugurada em 2009, a loja exigiu um investimento inicial de R$ 70 mil. “Abri meio sem fluxo de caixa, sem planejamento. Fomos crescendo junto com o negócio, aprendendo e, agora, conseguimos nos acertar”, conta.

Atualmente, a Cherry Pie registra faturamento médio mensal de R$ 20 mil. O plano para este ano é vender no atacado para estabelecimentos fora da capital. “As pessoas estão começando a procurar coisas diferentes, que não se acha em qualquer lugar, e que não seja moda de massa. Atendemos clientes que seguem o estilo das pin-ups, mas a maioria usa peças isoladas”, diz Livia.

Leia também

:: Moda retrô tem até geladeira artesanal ::

Rockabilly. Já a loja virtual Vudu! produz peças inspiradas no retrô, rock e tatuagem. Com público composto basicamente por homens, o forte da loja virtual é o estilo rockabilly, da década de 50 e caracterizado pelos topetes estilo Elvis Presley. O negócio foi idealizado pelo casal de designers Ana Flávia Dias e Elson Di Nardo.

“Comecei a fazer as peças para nós. É um estilo que gostamos. Os amigos começaram a pedir e resolvemos montar o site em 2008”, conta Ana Flávia, que há seis meses deixou o emprego e agora se dedica somente ao empreendimento.

As peças mais vendidas são as camisas masculinas. “É mais difícil achar roupas para homem. A maioria das peças é importada e resolvemos apostar na nossa própria produção”, afirma a designer, que cuida da fabricação com a ajuda da mãe.

Atualmente, inclusive, a Vudu! não produz em grande quantidade, mas a designer está se profissionalizando – ela faz cursos e espera com isso aumentar a produção. O comércio virtual fatura R$ 10 mil por mês e não há planos, pelo menos por enquanto, de abrir uma loja física.

Além das camisas masculinas, a loja vende tiaras, óculos ‘estilo gatinha’, bolsas e canecas. A divulgação da marca é feita via Facebook e em festas. “O estilo rockabilly tem a ver com o estilo de vida da pessoa”, afirma Ana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.