Divulgação
Divulgação

Dez opções de franquias que começaram em 2011

Investir em uma marca nova no mercado pode garantir benefícios como descontos, melhores pontos comerciais e preferência para abertura de lojas

Ligia Aguilhar - Estadão PME,

07 de novembro de 2011 | 06h10

Se investir em uma franquia conceituada pode trazer vantagens como a consolidação do modelo no mercado, optar por uma empresa novata pode ser ainda melhor. No setor de franquias, as redes iniciantes oferecem benefícios como desconto ou isenção de taxas contratuais, possibilidade de escolha dos melhores pontos e preferência para abertura de lojas. E mais: elas também facilitam o sonho do próprio negócio, já que as marcas tradicionais chegam a ter até mesmo fila de espera para abertura de novas unidades.

Oportunidades não faltam. Só no ano passado surgiram 212 novas franquias no mercado, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF). E o mercado deve seguir aquecido em 2011, com previsão de crescimento de 15%. No entanto, como todo novo negócio, as franquias iniciantes também exigem cuidados por parte dos candidatos a franqueados.

O diretor executivo da ABF, Ricardo Camargo, diz que o primeiro passo antes de aderir a uma nova marca é conhecer de perto o negócio. “Se for uma empresa estrangeira, é importante conhecer a sede ou alguma operação mais próxima do interessado. Se for nacional, o candidato a franqueado deve visitar a operação e avaliar se a empresa tem condições de se sustentar”, diz.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Além de conhecer de perto o funcionamento da companhia, o investidor deve pesquisar também o currículo dos representantes da marca. “A ideia é entender quem está por trás do negócio, qual a estrutura e a experiência dessas pessoas no segmento em que estão atuando”, diz a diretora da Franchise Store, Filomena Garcia.

Fazer uma pesquisa sobre o mercado no qual a companhia atua e ler com atenção o estudo feito pela própria franquia também são atitudes importantes antes do fechamento do contrato. Na circular de oferta de franquia todos os detalhes da negociação devem ser detalhados para respaldar as duas partes no caso de divergências.

Em compensação, é possível negociar pontos de venda e até mesmo facilidades no pagamento com as franquias que estão entrando no mercado. “A tendência é as marcas oferecerem um contrato mais favorável aos primeiros franqueados, com desconto ou maior prazo para pagamento da taxa de franquia, por exemplo”, explica Camargo. Se a marca expandir, os primeiros franqueados têm preferência para abrir mais unidades. “A melhor hora de investir em uma franquia é no começo, para crescer com ela”, afirma o diretor da ABF.

Entre as novidades que surgiram no mercado neste ano, há desde negócios no ramo de alimentação até franquias de call center. Confira abaixo uma lista com dez empresas que aderiram ao franchising em 2011*:

1. Net call center

Combina a prestação de serviços de contact center e venda de softwares inteligentes para call centers

Ano de fundação: 2001

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 1

Taxa de franquia: R$ 100 mil

Retorno: 36 a 48 meses

Investimento mínimo: R$ 250 mil

Faturamento médio: R$ 125 mil

Mais detalhes na internet

2. Laffa kebab store

Kebaberia

Ano de fundação: 2009

Unidades próprias: 2

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: 40 mil

Retorno: 18 a 24 meses

Investimento mínimo: R$ 290 mil

Faturamento médio: R$ 75 mil

Mais detalhes na internet

3. Rosso Pasta e Grill

Fast food especializado em carne e massas

Ano de fundação: 2008

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: R$ 50 mil

Retorno: Até 36 meses

Investimento mínimo: R$ 430 mil

Faturamento médio: R$ 100 mil

Mais detalhes na internet

4. Fórmula Academia

Academia premium com conceito de baixo custo e preço

Ano de fundação: 2010

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 2

Taxa de franquia: R$ 100 mil

Retorno: A partir de 36 meses

Investimento mínimo: R$ 800 mil

Faturamento médio: R$ 100 mil

Mais detalhes na internet

5. Espaço árabe

Fast food de culinária árabe focada no público A e B.

Ano de fundação: 2003

Unidades próprias: 11

Unidades franqueadas: 0

Taxa de franquia: R$ 35 mil

Retorno: 24 meses

Investimento mínimo: R$ 310 mil

Faturamento médio: R$ 70 mil

Mais detalhes na internet

6. Creps

Crepes servidos no prato, montados e decorados

Ano de fundação: 2008

Unidades próprias: 3

Unidades franqueadas: 1

Taxa de franquia: R$ 60 mil

Retorno: 12 a 24 meses

Investimento mínimo: R$ 175 mil

Faturamento médio: R$ 80 mil

Mais detalhes na internet

7. Deny Tennis

Acessórios pessoais e calçados

Ano de fundação: 1970

Unidades próprias: 0

Unidades franqueadas: 19

Taxa de franquia: R$ 40 mil

Retorno: 24 meses

Investimento mínimo: R$ 400 mil

Faturamento médio: R$ 120 mil

Mais detalhes na internet:

8. Brou’ne

Doceria especializada em brownies

Ano de fundação: 2008

Unidades próprias: 4

Unidades franqueadas: 1

Taxa de franquia: R$ 40 mil

Retorno: 18 a 36 meses

Investimento mínimo: a partir de R$ 113 mil

Faturamento médio: R$ 40 mil

Mais detalhes na internet

9. Cartório Mais

Especializada em serviços cartorários

Ano de fundação: 2010

Unidades próprias: 2

Unidades franqueadas: 43

Taxa de franquia: De R$ 25 mil a R$ 150 mil

Retorno: De 12 a 18 meses

Investimento mínimo: R$ 65 mil

Faturamento médio: R$ 90 mil

Mais detalhes na internet

10. Cactus Mexican Food

Fast food de comida mexicana

Ano de fundação: 2009

Unidades próprias: 1

Unidades franqueadas: 7

Taxa de franquia: De R$ 40 mil

Retorno: De 18 a 24 meses

Investimento mínimo: Até R$ 300 mil

Faturamento médio: R$ 80 mil

Mais detalhes na internet

*Fonte: Franchise Store e ABF

:::LEIA TAMBÉM:::

::Fila de espera para comprar franquias::

::Dez franquias com faturamento a partir de R$ 30 mil::

::Vinte franquias que custam menos que um carro popular::

::Saiba quando a franqueadora pode tirar uma loja do franqueado::

::Franqueadoras endurecem os critérios para seleção de franqueados::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.