Reuters
Reuters

Dez dicas para o empreendedor descobrir se o funcionário está enrolando no trabalho

Identificar um empregado, digamos, pouco produtivo é um atalho para ajudar gestores a criarem estratégias que melhorem as práticas organizacionais

Bruno de Oliveira, Especial para O Estado,

03 de dezembro de 2014 | 17h24

É cada vez maior o arsenal de artimanhas utilizadas por funcionários dentro das empresas para driblar as tarefas do expediente. Regidos pela lei do esforço mínimo, os colaboradores que apresentam este comportamento podem comprometer a produtividade dentro do ambiente corporativo.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Identificá-los o mais rápido possível pode ajudar gestores a criarem estratégias que melhorem as práticas organizacionais, diminuindo índices de insatisfação e, claro, os períodos de ócio.

Um estudo da Escola de Negócios da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, publicado pela Forbes, descobriu 10 táticas comuns usadas por estes mestres na arte de fazer pouco e ainda ser pago por isso. Tanto que Eric Abrahamson, professor à frente da pesquisa, batizou esses profissionais de "Michelangelos da esquiva do trabalho".

Confira os métodos utilizados pelos adoradores do ócio:

1 - ALTERNAR HORÁRIOS

Dessa forma, segundo o estudo, chefes nunca saberão quando o funcionário estará no escritório, evitando que lhe sejam delegadas atribuições.

2 - HOME OFFICE 'FOREVER'

Trabalhar de casa é um verdadeiro convite ao ócio. É considerada uma das formas mais fáceis de se evitar o trabalho.

3 - FICAR LONGE DA MESA

Fazer inúmeras pausas para ir ao banheiro ou tomar café também foi um comportamento detectado pelo estudo. Com o funcionário ausente, o chefe não poderá lhe dar trabalho.

4 - DEIXAR A CAIXA POSTAL LOTADA

Com o excesso de mensagens, quem ligar pode pensar que o funcionário está bastante ocupado ao longo do dia.

5 - ESCONDER EMOÇÕES

Se o funcionário conseguir omitir fisicamente suas emoções, a chefia não terá pistas se ele está disposto, ou não, para desempenhar determinada tarefa, acabando delegando o trabalho a outra pessoa que demonstre mais entusiasmo.

6 - DISTORCER O TEMPO

Evitar de falar para os colegas quanto tempo foi gasto para realizar um trabalho também evita que eles saibam qual é o tempo necessário para que a tarefa seja feita. Esta manobra diminui a cobrança para que prazos sejam cumpridos.

7 - SER SINCERO

O estudo do professor Abrahamsom destaca os colaboradores que, de forma cordial, deixam claro aos seus chefes que irão falhar miseravelmente na atribuição que lhe é oferecida.

8 - PARECER SOBRECARREGADO

Funcionários com baixa produtividade costumam alegar que estão sempre ocupados, ainda que isso seja uma grande mentira, aponta o estudo.

9 - LEVAR CRÉDITO PELO TRABALHO ALHEIO

Colaboradores com desempenho pouco produtivo geralmente se envolvem em projetos para poder passar uma imagem positiva à chefia, mesmo que não tenham feito nada durante a atividade.

10 - CONFIGURAR O COMPUTADOR

Os mestres do ócios geralmente programam o computador para responder e-mails quando se ausentam ou criam atalhos que abrem planilhas na tela quando são flagrados desprevenidos. 

Tudo o que sabemos sobre:
EmpreendedorismoPME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.