Reprodução
Reprodução

Designer cria sorvete que funciona como instrumento musical quando é lambido

Projeto pode servir de inspiração para empreendedores criarem experiências para atrair clientes

Estadão PME,

03 de abril de 2014 | 11h20

Já pensou em lamber um sorvete e contribuir para uma performance musical? É essa a proposta do projeto Lickestra da designer Emilie Lucie Baltz em parceria com Carla Diana, que também é designer, e o músico Arone Dye, do grupo Buke&Gase.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

De acordo com o site Springwise, plataforma criada para captar e replicar boas ideias de empreendimento ao redor do mundo, o projeto é composto por quatro porções de sorvete servidas em cones com sensores.

Ao lamber o sorvete, um sinal é enviado para um alto-falante emitir um som. É possível mudar a natureza do som de acordo com a forma de lamber o sorvete. O objetivo de Emilie é criar experiências que provocam conexões dos cinco sentidos, como forma de estimular o individual e o coletivo.

O site Springwise pontua que o projeto é mais uma performance de arte do que um modelo de negócio, mas pode servir de inspiração para incentivar fabricantes de alimentos ou restaurantes para combinar produtos com experiências para atrair clientes.

:: Confira um vídeo sobre o projeto :: 

Tudo o que sabemos sobre:
LickestrasorvetemúsicaEstadão PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.