Paulo Vitor/AE
Paulo Vitor/AE

Desembolsos do BNDES caem 26% até outubro

Banco liberou um total de R$ 104,2 bilhões no período; 41% desse valor foi direcionado para o setor de infraestrutura

Agência Estado,

21 de dezembro de 2011 | 08h28

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) acumulou R$ 104,2 bilhões em desembolsos entre os meses de janeiro e outubro desse ano, informou nesta terça-feira, 20, a instituição. A cifra é 26% menor do que o liberado pelo banco no mesmo período do ano passado, fortemente impactado pelo aporte de R$ 24,5 bilhões do banco na capitalização da Petrobrás.

Segundo o BNDES, excluída essa operação, a queda é de 10% e está em linha com a política de moderação do banco após o desembolso recorde de R$ 168 bilhões em 2011. A expectativa para este ano é de algo em torno de R$ 140 bilhões, com a aceleração de liberações no final do ano.

O setor de infraestrutura segue liderando as liberações de crédito do banco, com 41% do total direcionado para projetos de geração de energia elétrica, telecomunicações, transportes ferroviário e rodoviário, setores que o banco vê como estruturantes para manter o crescimento dos investimentos na economia, que foram afetados este ano pela crise econômica global. A indústria ficou com 31% das liberações e os setores de comércio e serviços e o de agropecuária ficaram com 20% e 8%, respectivamente.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

"As estatísticas de outubro último, isoladamente, também sinalizam para a manutenção de investimentos. Os desembolsos atingiram R$ 12,3 bilhões no mês, com recuo de apenas 4% em relação a outubro de 2010", informou o BNDES em nota. O banco também destacou o recorde de R$ 40,6 bilhões emprestados nos dez primeiros meses do ano para micro, pequenas e médias empresas, que já representam 40% do desembolso total.

"O patamar historicamente inédito explica-se pelo desempenho do Programa de Sustentação do Investimento (BNDES PSI) e do Cartão BNDES. Apenas o Cartão, produto exclusivo para MPMEs, registrou desembolsos, sem precedentes, de R$ 6 bilhões este ano", informou o BNDES.

Com o aumento dos empréstimos de pequeno porte, o BNDES registrou também recorde de operações: 718 mil entre janeiro e outubro, sendo 94% delas com micro, pequenas e médias empresas. "Dessa forma, o BNDES cumpre o compromisso de ampliar o acesso de financiamento às micro, pequenas e médias empresas, contribuindo para a democratização do crédito", diz a nota do BNDES.

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Presidente do BNDES nega aumento dos juros para pequena empresa ::

:: Confiança do consumidor sobe 1,8% em dezembro, diz Fecomercio-SP ::

:: Pré-datado eleva emissão de cheque sem fundos em novembro ::

:: Inflação em SP sobe 0,49% na 2ª prévia de dezembro ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.