Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Demanda por aplicativos crescerá nos próximos anos, dizem especialistas

Principal barreira para os empreendedores é a concorrência global

Gisele Tamamar, Estadão PME,

11 de outubro de 2012 | 10h27

Os empresários Cassio Spina, criador da Anjos do Brasil, e Wilson Baraban Filho, dono de duas startups, conversaram sobre a demanda por novos aplicativos em um mundo cada vez mais móvel na 3ª edição do Encontro PME, evento que acontece na manhã desta quinta-feira (11), no Espaço Itaú de Cinema do Shopping Bourbon, em São Paulo.

Os empreendedores debateram o futuro dos aplicativos e desdobraram uma questão que deixa em dúvida muitos empreendedores interessados em investir na criação de plataformas e ferramentas virtuais. Para ambos, os aplicativos não são uma bolha e sim uma grande oportunidade de negócios para o pequeno empresário.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Este é um mercado que veio para ficar. É novo, segue em velocidade acelerada e traz grandes oportunidades", disse Cassio Spina, da Anjos do Brasil. Ele apontou também a principal barreira para o empreendedor. "A diferença é que você pode desenvolver um aplicativo de sua casa e atingir o mercado global. Mas da mesma forma um concorrente na China pode superar você e ser melhor".

Para  Wilson Baraban esse é um mercado "enorme, mundial e não trata-se de uma bolha".  De acordo com o empresário, o mercado de aplicativos traz oportunidades bilionárias, mas é necessário achar um foco para sua ideia dar certo. "Acho que a gente vai fazer tudo por smartphone pois vão surgir novas tecnolgias e novos aplicativos", diz.

:: Saiba tudo sobre a 3ª edição do Encontro PME ::

>> O País de 10 mil startups

>> Para startups, agilidade vale mais que plano de negócios

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.