De vitrine ao negócio concreto

De vitrine ao negócio concreto

Redes sociais atuam desde o primeiro contato até a venda

O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2017 | 06h00

O WhatsApp – oficialmente, um serviço de mensagens – surpreendeu e foi eleito a melhor plataforma pelos pequenos e médios empresários, com 89 de índice na categoria Rede Social. Em seguida, vêm Instagram (78) e Facebook (72). “Essas plataformas caminham juntas, tanto na geração de negócio, quanto no relacionamento com o cliente. Ele entra em contato com a empresa por um canal e, na sequência, surge uma oportunidade de transação com a mesma marca por outra rede”, explica Aline Tobal, gerente do Centro de Inteligência Padrão (CIP), que faz estudos de mercado.

Nesta categoria, entre os principais critérios de escolha, ganha espaço a imagem da empresa, com 36% dos entrevistados. Um levantamento do CIP com a consultoria MindMiners mostrou que as redes sociais são importante vitrine e meio de avaliação das empresas: 55% dos consumidores brasileiros têm o hábito de dividir experiências positivas de compra nas redes, e 47%, experiências negativas.

WhatsApp é linha direta com cliente

Simples e rápido, o WhatsApp caiu no gosto do pequeno empresário, principalmente pelo seu potencial de alcance – são mais de 120 milhões de usuários no Brasil. “No último ano, observamos que cresceu o uso do WhatsApp como um canal de comunicação entre empresa e cliente”, afirma Aline Tobal, gerente do Centro de Inteligência Padrão (CPI).

textos, conversas em grupo, compartilhamento de fotos e vídeos e mensagens de voz, muitas empresas conseguem usar o aplicativo para atualizar os clientes sobre novos produtos. É possível também anexar documentos, como faturas, por exemplo.

“Estudo do Analysis Group apontou que 51% dos brasileiros encaminharam mensagens de empresas ou prestadores de serviços em duas a cinco ocasiões nos últimos sete dias (na semana de 2 de julho). Esse tipo de compartilhamento de informações é positivo para as pequenas e médias empresas”, afirma Anne Yeh, gerente de comunicação do WhatsApp. “A única coisa que sempre salientamos é que o comerciante deve ter certeza de que a pessoa deseja receber esse tipo de conteúdo, para evitar o risco de ele ser bloqueado ou reportado como spam.”

Marketing acessível às pequenas

Ferramentas de comunicação e marketing ficaram mais acessíveis ao pequeno empresário com os perfis comerciais nas redes sociais. No Instagram, com 45 milhões de brasileiros ativos mensalmente, o usuário comercial ganha um botão de contato, para facilitar a interação com o cliente, tem acesso a métricas para monitorar publicações e seguidores e pode transformar uma postagem comum em anúncio. 

"Empresas de todos os tamanhos podem anunciar no Instagram. A plataforma permite que pequenos negócios consigam aproveitar o storytelling visual e ferramentas de marketing antes reservadas só para aqueles com grandes orçamentos e poder de produção”, diz Inès Schinazi, líder de comunidade do Instagram Brasil.

O Facebook tem investido em conteúdo para auxiliar PMEs em estratégias digitais. “As empresas querem estar onde os clientes estão, e, na instabilidade econômica, a presença digital pode ser o segredo do sucesso”, diz Camila Fusco, diretora de empreendedorismo para a América Latina. No Brasil são 117 milhões de usuários ao mês, e 83% das pessoas estão ligadas a pelo menos a uma página de pequena ou média empresa nacional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.