Reprodução
Reprodução

De olho na Copa, site lança aplicativo de venda de passagens de ônibus

Negócio já vendeu 3 milhões de passagens no últimos três anos

Marcella Fernandes, especial para O Estado de S.Paulo,

08 de abril de 2014 | 11h30

De olho no turista que quer economizar com passagens aéreas ou simplesmente fugir da confusão dos aeroportos brasileiros no período de Copa do Mundo, o site Netviagem lançou em março um aplicativo para facilitar a compra de passagens de ônibus.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Disponível para Android e IOS, o app de mesmo nome é gratuito e tem versões em português, inglês e espanhol.

Nele, o cliente escolhe as cidades de origem e de destino, a data desejada e aparecem as opções de horários ofertadas pelas empresas de ônibus. Em um mês foram feitos 1086 downloads, sendo 82% no sistema Android e 18% no IOS.

O site vendeu 3 milhões de passagens no últimos três anos, alcançando R$ 140 milhões em vendas. O negócio agrega 49 companhias de ônibus que atendem a 1.800 cidades-destino. Atualmente há 1,3 milhão de usuários cadastrados

Para lançar o produto, foram investidos R$ 500 mil nos canais de comercialização da companhia. A decisão visa principalmente alcançar o mercado aquecido pela Copa do Mundo. A expectativa é de aumentar 50% a venda nas cidades-sede no período do evento.

De acordo com o CEO do Netviagem, Alberto Graciano, turistas vão optar pelo ônibus para fugir dos altos preços das passagens aéreas e da falta de infraestrutura dos aeroportos. "Tem empresa que vai praticar preços absurdos. Aí o turista naturalmente vai migrar para transportes mais adequados", afirma.

O empresário garante que não vai haver aumento de preço no transporte rodoviário, devido às normas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Em outubro de 2013, a agência autorizou reajuste de 6,98% em rotas interestaduais de longa distância (mais de 75 km). Segundo a ANTT, não há previsão de reajuste até a Copa.

O Netviagem acredita que a adesão maior será de turistas que forem se deslocar entre cidades-sede no Sudeste e de pequenos municípios ao redor das capitais que vão receber os jogos.

A decisão de investir no comércio online de bilhetes de ônibus veio da aposta na ampliação do número de brasileiros viajantes, especialmente com a migração das classes D e E.

Com o aumento de renda da população, quem não tinha como pagar viagens passou a ter um poder de compra maior. O CEO Alberto Graciano acredita que ainda há margem de expansão no setor. "A gente vê no futuro crescimento de uma foram muito consistente e forte", declara.

De acordo com a E-Consulting, empresa que realiza anualmente o Índice do Varejo Online (VOL), deve haver crescimento de 22,63% no comércio eletrônico Brasileiro em 2014, comparado a 2013. A estimativa é que o setor movimente R$ 53,1 bilhões. O número de consumidores deve aumentar 19% este ano, chegando a 44 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.