Reprodução Site
Reprodução Site

De Cingapura a Londres, conheça cinco inovações ao redor do mundo

Capacetes divertidos para crianças e embalagem que se transforma em móvel são algumas das inovações

ESTADÃO PME,

05 de dezembro de 2012 | 06h31

Os empresários brasileiros podem buscar inspiração para empreender a partir de boas ideias ao redor do mundo. Um dos exemplos vem de uma empresa de Portugal, que inovou ao servir lanche em caixa que toca música. A 1000 Paladares criou o Soundwich, um espaço destinado a servir sete tipos diferentes de sanduíches. O lanche chega à mesa em caixas metálicas. Ao retirar a tampa, o consumidor ouve a música favorita do chef que idealizou o prato. Pode-se ouvir, por exemplo, Here Comes The Sun, dos Beatles, trilha sonora do sanduíche de sardinhas.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Em Londres, a dupla de estudantes Lasse Oiva e Amos Field Raid é responsável por uma engenhosa invenção: a cafeteria ambulante. Trata-se do Velopresso, uma máquina móvel de café expresso que tritura o grão por meio de pedaladas. As pedaladas geram energia para ligar a máquina responsável por moer os grãos de café. Já a água é aquecida por uma caldeira que funciona a gás. Os estudantes têm a intenção de aperfeiçoar alguns detalhes da invenção e encontrar uma parceria na indústria para tornar a máquina mundial.

A ideia de capacetes para crianças com penteados divertidos como moicanos e dread vem dos Estados Unidos. Tudo começou com a recusa de Alex, filho de seis anos da empreendedora Jocelyn Fine, em colocar o capacete que costumava usar para andar de bicicleta. O motivo? Ele simplesmente não o achava legal. Assim nasceu a Fohawx, que especializou-se em produzir 'acessórios com atitude'.

Na onda das redes sociais, surgiu o Printstagram, um site que vende um serviço de impressão das fotos do Instagram de várias formas diferentes - calendário, minilivro, pôster ou impressões de tamanhos variados. No caso do pôster, o usuário pode escolher entre 50 e 400 fotos para serem distribuídas em dois tamanhos de cartaz, que custam US$ 25 ou US$ 35.

Em Cingapura, uma loja de móveis, em parceria com uma agência de publicidade, convida o cliente a reutilizar as caixas de papelão usadas para embalar seus produtos. Mas de uma forma "descolada". A DIY Living indica bordas e recortes nas caixas em que vão empacotados seus produtos. Seguidos à risca pelo cliente, elas tornam-se rapidamente em mesas de centro, banquetas e até coifas para luminárias. 

 

:: Veja a galeria de fotos com as inovações ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.