Valeria Gonçalvez/Estadão
Valeria Gonçalvez/Estadão

Coworkings de São Paulo não fecham, mas startups fazem home office

Em redes de estações compartilhadas, empresas adotam trabalho remoto mesmo sem registro de covid-19; hub Cubo Itaú tem caso positivo, fecha portas até segunda (16) e recomenda home office por 30 dias

Letícia Ginak, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2020 | 18h25

No dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde decretou pandemia global por conta do avanço da contaminação pelo novo coronavírus em todo o mundo. Além dos efeitos econômicos nas pequenas empresas, a rotina de empreendedores, principalmente de startups que utilizam espaços compartilhados de trabalho (coworkings) e dependem de eventos para gerar novos negócios, também será fortemente comprometida.

Nesta quinta-feira, 12, o Cubo Itaú - hub de empreendedorismo do Itaú que realiza eventos e incuba startups - emitiu comunicado informando que interrompeu o funcionamento do prédio para residentes e visitantes, além da realização de eventos, até a próxima segunda-feira, 16 de março. O anúncio foi feito às startups residentes por meio de uma live.

Mesmo com o retorno das atividades previsto para a terça-feira,17, a recomendação é que as empresas adotem home office por 30 dias. A medida foi tomada depois que um colaborador do local recebeu o teste positivo para a covid-19. Eventos marcados até o dia 10 de abril foram cancelados. Um funcionário da Encontre um Nerd, startup residente do local, diz que a empresa seguirá a recomendação de home office por 30 dias.

O inovaBra, espaço colaborativo de inovação do Bradesco e que também tem startups residentes no local, informa que não modificará o horário de funcionamento do espaço por enquanto. Porém, os eventos agendados para os meses de março e abril foram remarcados para junho e julho e outros serão transmitidos via streaming, sem público presente.

Grandes redes de coworkings da cidade de São Paulo não haviam modificado, até a tarde desta sexta-feira, 13, o horário de funcionamento de suas unidades. Gowork, Wework, Regus & Spaces, por exemplo, continuam a operar normalmente. É importante lembrar que algumas delas, como Wework e Regus & Spaces são multinacionais e, por isso, recebem clientes de todo o mundo.

Tiago Alves, CEO da Regus & Spaces no Brasil, fez um vídeo com o médico André Dabarian para enviar aos clientes das unidades assim que o primeiro caso da doença foi confirmado no Brasil. Ele diz que, a partir da próxima semana, começará uma campanha nas unidades com enfermeiras rotativas para explicar aos clientes sobre os sintomas da doença e como se prevenir. “Nosso maior trunfo contra o vírus é a prevenção. Ainda há muitas pessoas que padecem de informação completa”, afirma.

Nas duas unidades do coworking paulistano Eureka, os eventos e a happy hour mensal foram cancelados. Daniel Moral, fundador do espaço, diz que muitas empresas residentes já estão adotando o home office.    

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus. Clique aqui. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.