Layala Lino/Divulgação
Layala Lino/Divulgação

Copa do Mundo: Sebrae ainda tem R$ 5 milhões para investir em artesanato

No total, instituição investirá R$ 21 milhões em projetos dos 26 estados e Distrito Federal

Estadão PME,

06 de fevereiro de 2012 | 11h42

 A Copa do Mundo de 2014 vai fomentar a economia do País. O evento representa também uma onda de oportunidades para os empresários de grande e pequeno porte.  De olho no potencial econômico do mundial, que trará estrangeiros ao Brasil, o Sebrae pretende reforçar a difusão do artesanato brasileiro entre os turistas.  A instituição vai investir R$ 21 milhões para comercializar produtos feitos por artesãos dos 26 estados e Distrito Federal.  Do montante, ainda restam R$ 5 milhões para fomentar a economia criativa no período da Copa do Mundo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Projetos

De acordo com a Agência Sebrae,  propostas de cinco estados (Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Sergipe e Tocantins) já foram aprovadas dentro do projeto Expoart e outras 11 serão analisadas nos próximos dias.  Esses estados apresentaram projetos que contemplam artigos com alto valor agregado, desenvolvidos em seus territórios e inspirados nos grandes eventos esportivos. Juntos, os 16 estados demandam um total de R$ 16,5 milhões em recursos do Sebrae Nacional. Como a instituição dispõe de R$ 21 milhões, ainda há espaço para que os outros 11 estados apresentem seus projetos.

O Sebrae Nacional vai apoiar financeiramente 50% do custo de cada projeto.  O objetivo, segundo a instituição, é ajudar os artesãos a desenvolverem e a comercializarem seus produtos, para que possam abocanhar uma parcela dos R$ 180 bilhões que devem ser injetados na economia brasileira durante o mundial.

Vendas

Durante o evento esportivo, o Sebrae vai promover a criação de espaços comerciais exclusivos destinados à venda de peças de todo o país. "Há um grande mercado para a economia criativa, impulsionado pelos eventos que o Brasil receberá nos próximos anos. Temos trabalhado desde já para preparar os empreendedores desse segmento para que aproveitem essas oportunidades de negócios e de desenvolvimento da melhor forma possível", disse o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto.

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Sete dicas para vender para o governo ::

:: Atraso pode excluir pequenos da Copa do Mundo ::

:: Copa do Mundo só valerá a pena se empresas mirarem o longo prazo ::

:: Aberta a temporada de contratos para Copa do Mundo de 2014 ::

:: Estrangeiro gastará R$ 11,4 mil durante viagem da Copa ::

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do MundoArtesanatoSebrae

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.