Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Consumidor volta a procurar crédito após dois meses de queda, diz Serasa

Aumento da demanda tem a ver com o Dia dos Pais e maior número de dias úteis em agosto

circe bonatelli, agência estado,

09 de setembro de 2011 | 12h38

Após dois meses de queda, a quantidade de pessoas que procurou crédito avançou 8% em agosto ante julho, de acordo com pesquisa divulgada hoje pela Serasa Experian. Em julho e em junho, a demanda do consumidor por crédito havia caído 1,2% e 3,0%, respectivamente, na comparação em bases mensais.

Já na comparação entre agosto e o mesmo mês do ano passado, a demanda do consumidor por crédito aumentou 14%, enquanto no acumulado do ano (janeiro a agosto), a busca foi 13,1% superior à verificada no mesmo período do ano passado.

Na avaliação da Serasa Experian, a maior procura do consumidor por crédito em agosto está relacionada às vendas para o Dia dos Pais e ao maior número de dias úteis no mês (foram 23 em agosto contra 21 em julho). No entanto, a entidade estima que, se for mantido esse ritmo de crescimento do indicador, ele deve terminar o ano com uma expansão inferior à de 2010, quando registrou alta de 16,4%.

Faixas de renda

O aumento da procura por crédito em agosto ante julho foi verificado entre consumidores de todas as faixas de renda analisadas pela Serasa Experian. No período, a maior expansão foi registrada entre pessoas mais pobres, com renda mensal de até R$ 500: alta de 12,4%. Na sequência, aparecem consumidores com renda entre R$ 500 e R$ 1 mil (9,0%), de R$ 1 mil a R$ 2 mil (7,0%), de mais de R$ 10 mil (6,1%), de R$ 2 mil a R$ 5 mil (5,7%) e de R$ 5 mil a R$ 10 mil (5,1%).

No mesmo período, também foi registrado aumento na demanda por crédito entre consumidores de todas as regiões do País. A maior alta na procura foi no Nordeste (20,3%), seguido por Norte (12,7%), Centro-Oeste (10,6%), Sul (6,6%) e Sudeste (3,8%).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.