Sergio Martins
Heide Vieira, consultora e criadora da Evolvers Consultoria Sergio Martins

Consultoria para MEI: conheça os tipos e saiba como aproveitá-las ao máximo

A consultoria em gestão de negócios tem um olhar mais amplo sobre o empreendimento e há desdobramentos que pedem um profissional mais especializado, como em finanças e marketing

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2021 | 10h00

A consultoria empresarial, independente do tamanho da empresa, pode atuar em diferentes vertentes, com pessoas especializadas naquela área. O trabalho feito para analisar a gestão do negócio é mais amplo, pois analisa todos os processos internos do empreendimento. Há também investigações mais específicas de acordo com alguma demanda pontual que o MEI possa ter.

Confira a seguir alguns tipos de consultoria:

Consultoria em gestão

Essa vertente trabalha de forma mais abrangente no negócio e é voltada para todos os processos internos. Engloba planejamento, estratégia, finanças, marketing, entre outros. É também quando se fala de plano de negócio, capital de giro e necessidade de ter funcionários, por exemplo. Confira aqui dez ferramentas para a gestão do seu negócio.

Consultoria de vendas

Ao identificar desafios e propor melhorias, o objetivo é otimizar o processo de vendas e criar um modelo estruturado que também considere a demanda para gerar mais vendas e lucro. Segundo Heide Vieira, da Evolvers Consultoria, o principal é pensar o quanto se tem de vender para chegar ao faturamento. Isso abre outros leques de análises, como gestão do tempo, possíveis contratações, posicionamento, atração de clientes.

Consultoria de marketing

Trabalha com o posicionamento da marca, entende os canais digitais mais apropriados para o negócio, identifica se está atingindo o público certo com as ações de divulgação, faz com que a empresa se destaque no mercado com o posicionamento adequado e sugere melhorias para marketing digital. Neste caso, é trabalhado também o tipo de conteúdo a ser publicado, como se conectar com pessoas e tipos de ações nas redes sociais.

Consultoria financeira

O primeiro passo é quebrar possíveis crenças em relação ao dinheiro, diz Heide, ao trabalhar com a mentalidade financeira do empreendedor. O objetivo é ajudar o MEI e as PMEs a lidar de forma mais saudável com ele, com propostas para o planejamento, controle e gestão das finanças. Otimizar os recursos e acompanhar o fluxo de caixa também são tarefas possíveis.

De acordo com os especialistas, gestão de negócio e finanças são consultorias mais permanentes, não pontuais, à qual o empreendedor vai recorrer com mais frequência. Mas isso também varia conforme o segmento da empresa. Um serviço que tem sido muito procurado recentemente é o de marketing, principalmente digital. Isso ficou ainda mais evidente com a pandemia, que forçou os negócios a se adaptarem ao virtual.

Adriano Campos, consultor de negócios do Sebrae-SP, destaca que uma consultoria pouco comum, mas que deveria estar no radar dos empresários é a jurídica. “As pessoas pensam que só precisam da ajuda de um advogado quando tem processo, precisam contratar ou demitir funcionários. Essas situações exigem, mas especialmente agora que tem avançado para o comércio eletrônico, noto que empreendedores tem baixo ou zero conhecimento dos regulamentos, inclusive da Lei Geral de Proteção de Dados que entrou agora e não é trivial”, alerta.

Aproveite a consultoria ao máximo

Há serviços de consultoria pagos e gratuitos. Independente do modelo, os profissionais estão ali para ajudar a melhorar o seu negócio, mas, segundo Campos, eles não têm a solução nem o caminho mais fácil para todos os problemas. Por isso, é importante que o empreendedor colabore nesse processo. A seguir, veja dicas dos especialistas para aproveitar ao máximo o serviço oferecido:

Saiba o que você quer: defina seus objetivos, tanto de vida quanto do negócio, pois um está atrelado ao outro, diz Heide. Ao apresentar isso de forma detalhada, o consultor poderá buscar soluções mais próximas da sua realidade, personalizadas.

Identifique suas habilidades: no que você é bom? O que as pessoas ao seu redor dizem sobre você e seu produto? Saber essas características também ajuda a definir a expectativa de crescimento, direcionar melhor o que você vende e de modo duradouro.

Reúna evidências: diante de um momento crítico, Campos orienta o empreendedor a reunir o máximo de elementos que mostram a existência do problema. Se há faturamento, mas o dinheiro parece se perder, faça um levantamento das vendas dos últimos três meses, separe o que foi pago em dinheiro, em cartão e apresente ao consultor para que ele possa interpretar e identificar possíveis falhas.

Esteja aberto a sugestões: "mais importante do que o consultor apresentar, é estar aberto para escutar, mesmo que discorde, e isso é bom", diz Campos. É possível que o profissional aponte erros, diga coisas que incomodam e sejam desagradáveis, mas é importante encarar tudo como uma oportunidade para melhorar e ter mais ganhos.

Esteja de acordo com sua equipe: se você é um MEI que tem um colaborador ou é uma pequena empresa com sócio, convide-o a participar da consultoria. O consultor do Sebrae exemplifica que, muitas vezes, o problema do negócio não está no mercado ou no consumidor, mas na atitude dos sócios. Se apenas um souber o que fazer e o outro discordar, a tendência é ficar estagnado. É preciso mais coparticipação, uma vez que boa parte dos resultados da empresa vem do comportamento das pessoas que a gerem.

Tudo o que sabemos sobre:
MEI [Microempreendedor Individual]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Procurar uma consultoria antes de abrir o negócio pode ajudar o MEI a ser mais assertivo para não perder tempo nem dinheiro. Sam Kalda/The New York Times

Consultoria para MEI: saiba a importância e quando procurar uma

Especialistas orientam que o ideal é buscar aconselhamento antes de iniciar o negócio, mas com a operação em curso há momentos críticos que também demandam orientação

Ludimila Honorato , O Estado de S.Paulo

Atualizado

Procurar uma consultoria antes de abrir o negócio pode ajudar o MEI a ser mais assertivo para não perder tempo nem dinheiro. Sam Kalda/The New York Times

Transformar uma ideia ou hobby em negócio demanda planejamento e, dependendo da área de atuação, cuidados específicos com biossegurança, por exemplo. O Estadão PME já listou seis passos importantes para quem vai começar a empreender do zero, mas o microempreendedor individual (MEI), que muitas vezes conta com equipe reduzida ou tem de pensar em tudo sozinho,  pode ter desafios maiores. Nesse caso, vale a pena investir em consultorias - e há opções gratuitas.

O consultor pode ser especializado em diferentes áreas, como gestão, finanças, marketing e estratégia. De acordo com a demanda do empreendedor e da empresa, ele vai fazer um diagnóstico das necessidades e propor ações para melhorias. O especialista pode, ainda, ajudar no plano de negócio, um documento detalhado sobre o empreendimento para guiá-lo no mercado.

Entre os motivos para buscar essa ajuda estão: falta de conhecimento em determinada área, dificuldades para gerenciar o negócio, necessidade de ampliar a oferta ou captar mais clientes. Ao investir em uma consultoria, seja com tempo ou também com dinheiro, o MEI terá vantagens como ser mais assertivo, definir prioridades e ter ferramentas adequadas para atingir os objetivos. O resultado é uma empresa mais saudável.

Ainda que seja possível se capacitar em diferentes áreas por meio de cursos online para gerir o negócio, outra vantagem de acionar um especialista é ter uma visão neutra e diversa do seu empreendimento. "O consultor não tem o poder de resolver facilmente os problemas, mas não estando no meio da operação, ele contribui com sugestões", explica Adriano Campos, consultor de negócios do Sebrae-SP.

A vantagem, segundo ele, de analisar o cenário de fora é estar atento a pontos essenciais que talvez o empreendedor não veja, ajudando-o a refletir. Além disso, existe a experiência de quem já instruiu outras empresas. "A operação cega a visão estratégica do empreendedor, principalmente o pequeno."

A consultora Heide Vieira completa que o brasileiro não foi ensinado a empreender, então, por mais que conheça a técnica do que faz - seja um cabeleireiro, doceira -, tem dificuldade em ser um bom gestor do negócio.  "O papel da consultoria é ajudar a conduzir da forma mais simples, transformar essa expertise não só em ação prática, mas olhar para o todo", diz a especialista, criadora da Evolvers Consultoria. A empresa é focada em atender empreendedores individuais, profissionais liberais, pequenas e médias empresas.

Quando o MEI deve procurar uma consultoria?

No mundo ideal, qualquer pessoa que tenha o desejo de empreender deveria buscar um aconselhamento especializado antes de dar o primeiro passo. Mas é compreensível que, de início, o empreendedor queira seguir sozinho, no feeling, por falta de recursos para investir na consultoria.

Heide identifica dois perfis que buscam o serviço: a pessoa que vai pela necessidade, porque tem contas a pagar e quer empreender, e aquela que já tem respaldo financeiro e consegue pensar no preventivo da empresa.

"O ideal é que faça o preventivo, saiba o canal de venda, a pessoa que quer atingir, que tipo de equipamento precisa, para não perder tempo nem dinheiro", diz a consultora. Ela resume que os "perrengues" da empresa não são motivo para desistir e que o consultor é quem encurta os caminhos e dá a mão ao empreendedor nesse trajeto.

Depois que o negócio já está em operação, há momentos críticos em que uma ajuda externa é necessária, quando o empreendedor tem dúvidas sobre o que fazer, não consegue dar um passo adiante ou tem resultados negativos.

"Pode ser para organizar a linha de operação, montar um espaço, comprar equipamentos adequados, lançar um novo produto, reposicionar a marca. Esse tipo de coisa não é a experiência dele e é natural que o empreendedor não tenha conhecimento de digital para implantar uma loja virtual, por exemplo", diz Campos.

Tudo o que sabemos sobre:
MEI [Microempreendedor Individual]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Consultoria para MEI: veja onde procurar, com opções gratuitas e pagas

Serviços de apoio ao empreendedor e empresas juniores de universidades auxiliam com aconselhamento para o negócio

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

18 de janeiro de 2021 | 10h00

O Estadão PME selecionou algumas opções onde o microempreendedor individual, a pequena ou média empresa podem ter acesso a todos os tipos de consultoria. Os serviços são gratuitos, pagos ou a baixo custo. Confira a seguir:

Sebrae

Referência no apoio a esse público empreendedor, a instituição oferece consultorias online e presencial em todos os segmentos. As gerais de marketing, finanças, gestão de pessoas, jurídico são comumente gratuitas, mas aquelas individuais ou embutidas em projetos de longo prazo são cobradas total ou parcialmente. Em cada Estado, o serviço pode variar, então o interessado pode ligar para o telefone de contato geral 0800 570 0800 ou conferir as opções disponíveis em seu Estado. Para isso, basta acessar o site do Sebrae aqui e ir até a aba ‘Sebrae nos Estados’.

Mais recentemente, devido à pandemia do novo coronavírus, algumas pessoas tiveram de adequar seus negócios aos protocolos de saúde e segurança, o que também demanda uma boa orientação. Por isso, o Sebrae Orienta passou a oferecer consultorias gratuitas e online voltadas para essa necessidade mais específica. Confira aqui.

Senac

Algumas unidades do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) disponibilizam consultorias em finanças, e-commerce, marketing digital, biossegurança e estratégia de vendas, às vezes em parceria com outras instituições. É o caso do centro educacional no Mato Grosso do Sul com o Programa Superação, com opções gratuitas ou com desconto (veja aqui).

Já o Senac Pernambuco se uniu ao Sebrae para lançar o Adapta Comércio, uma consultoria voltada para ajudar os negócios a se adaptarem ao “novo normal” da pandemia. O serviço, gratuito, pode ser solicitado por este link.

Em Minas Gerais, o Senac oferece soluções corporativas como consultoria em segurança alimentar, treinamento para líderes e propostas educacionais para o desenvolvimento de equipes. Confira aqui.

Empresa Jr. ESPM

A Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) disponibiliza nos Estados em que atua uma empresa junior com consultoria em marketing e comunicação para autônomos, MEI, pequenas, médias e grandes empresas. Mas por meio de consultoria online, é possível ser atendido em qualquer região do Brasil. A unidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, por exemplo, tem realizado projetos em São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco.

Os serviços são pagos, entre R$ 2 mil e R$ 40 mil, mas há opções gratuitas ou com valor muito baixo para projetos sociais. O valor varia de acordo com o projeto, conforme complexidade e quantidade de horas necessárias, sendo que eles duram em torno de dois a cinco meses. Veja opções no Rio de Janeiro e em São Paulo.

FEA junior USP

Os serviços oferecidos pela empresa junior da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo englobam plano de negócios, consultoria financeira, planos de marketing e estratégico, pesquisa de mercado, entre outros. Dependendo do tamanho do projeto, o preço varia de R$ 7,5 mil a R$ 20 mil. Eles atendem desde empreendedores individuais a empresas já consolidadas no mercado, no Brasil e no exterior. O interessado pode solicitar um diagnóstico gratuito por meio do site. Acesse aqui

Universidade São Judas

A instituição de ensino, com 11 campi no Estado de São Paulo, tem dois projetos de extensão que dão consultorias gratuitas para MEI, pequenas e médias empresas localizadas no entorno das unidades. Um deles atua nas áreas de marketing de relacionamento, marketing de serviço, promoção de vendas e verificação do processo das empresas e sua dinâmica empresarial. Cerca de 60 empresas nos segmentos de roupa, pizzaria e docerias já foram beneficiadas com o serviço. Informações sobre a inscrição para empreendedores interessados serão disponibilizadas em breve no site da universidade.

O outro projeto da São Judas também é focado em gestão, reestruturação financeira e elementos de marketing. Aberto para empreendedores de regiões próximas aos campi, os interessados podem entrar em contato por meio do número de telefone: 11 99523-5555.

Tudo o que sabemos sobre:
MEI [Microempreendedor Individual]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.