Reprodução Vídeo
Reprodução Vídeo

Conheça negócios diferentes que podem facilitar (e muito) a vida das pessoas

Exemplos vão desde colher que reduz efeitos dos tremores das mãos até garrafa que purifica água

ESTADÃO PME,

18 de setembro de 2013 | 06h40

Empreendedores são criativos e sempre estão buscando soluções para problemas do dia a dia. E para inspirar novos negócios, o Estadão PME selecionou casos de empresas que inovaram. O primeiro exemplo é uma colher inteligente, que reduz os efeitos dos tremores das mãos de pessoas com deficiência motora ou Parkinson, por exemplo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

De acordo com o site Springwise, dedicado às novidades no campo da inovação pelo mundo, a colher Liftware tem um dispositivo com uma tecnologia para detectar os movimentos, alterar a distribuição de peso das mãos e forçar a colher a mover-se na direção oposta. Testes mostraram que a colher pode reduzir os efeitos dos tremores em até 75%, o que pode facilitar a vida de muitas pessoas. A colher está em pré-venda por US$ 295.

Outra inovação foi criada por sul-coreanos que desenvolveram um sistema de filtragem e purificação de água portátil que promete transformar água do mar em água potável. Chamada de Puri, a garrafa foi projetada para uso em barcos ou situações de emergência no mar, em que as pessoas podem precisar de água para não se desidratarem ou até mesmo morrerem. Com esse equipamento, elas podem beber a água do mar.

Relógio de pulso para cegos

A empresa Eone Timepieces, de Washington, criou The Bradley. O relógio, diferentemente de outros que 'falam' qual é a hora e podem não ser ideais para locais barulhentos ou públicos, o usuário pode identificar a hora pelo toque. O relógio tem uma face de metal escovado e rolamentos de esferas metálicas que indicam a hora certa, um na parte da frente, como ponteiro de minutos, e um no lado, que mostra as horas.

:: Veja um vídeo em inglês sobre o funcionamento da colher ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.