André Lessa/Estadão
André Lessa/Estadão

Conheça histórias de superação que se tornaram casos de sucesso no empreendedorismo

Veja alguns empreendedores que deram certo e o que e como eles fizeram

ESTADÃO PME,

26 de agosto de 2013 | 15h57

Conhecer as histórias que trouxeram resultados positivos e alcançaram sucesso pode ser um caminho para inspirar-se e até mesmo aprender. Afinal, o compartilhamento dos desafios que alguns empresários enfrentaram ajuda a identificar fatores que geralmente contribuem para o desenvolvimento e o crescimento do negócio. O Estadão PME listou alguns cases para você.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Depois de envolver-se em 30 negócios diferentes, o empresário Vagner Lefort ‘sossegou’ na empresa de brinquedos Long Jump. A procura pelo negócio ideal surgiu quando ele foi demitido de uma grande empresa e, mesmo com 22 anos, teve dificuldades para se recolocar no mercado de trabalho – ele até conseguiu um novo emprego, mas para ganhar menos da metade do seu antigo salário. Lefort participou de diversos negócios. Ele teve loja de carros, fábrica de sorvete, empresa de vídeo karaokê e até motel. Leia mais.

André Oliveira não tinha muito a perder quando inaugurou a primeira unidade de sua futura rede de lojas de crédito pessoal. Aos 25 anos, ele ainda era jovem para importar-se com perder tempo e, caso tudo desse errado, poderia retornar ao mercado de trabalho e alcançar rapidamente o salário de R$ 4 mil que recebia como bancário. Apesar do fracasso e da situação adversa a ser superada, Oliveira não desistiu. Ele juntou as economia e contratou uma consultoria para reformar sua estratégia de crescimento. Hoje, a Credfácil conta com 78 unidades e, segundo o empreendedor, faturou expressivos R$ 90 milhões no ano passado. Leia mais.

O médico italiano Marco Collovati morou em favela carioca e hoje faz sucesso como empreendedor. Quando trocou Florença, na Itália, pela cidade do Rio de Janeiro, o recém-formado médico Marco Collovati trazia na ponta da língua seus objetivos de vida: aprender a fazer cirurgia plástica com um súdito de Ivo Pitangui, ganhar dinheiro com a nova especialidade e, finalmente, curtir a vida usufruindo dos prazeres que a prosperidade econômica certamente oferece. Mas a rota acabou sendo diferente. Leia mais.

Outro médico que chegou lá foi Marco Aurélio Raymundo. Ele conseguiu convencer a família, ainda com 24 anos, a deixá-lo partir de Porto Alegre (RS) para viver em Garopaba (SC), um pedacinho de paraíso sem água encanada e energia elétrica. Quase 40 anos depois, o também surfista não só alcançou os propósitos humanitários que o levaram até a região, mas ainda fundou a Mormaii, marca nacional de peso que concorre com gigantes mundiais como Billabong e Quicksilver. Leia mais.

O surfe de certa forma também ajudou Raphael Levy, que conseguiu apaziguar o seu espírito contestador para hoje, aos 52 anos, ser protagonista de uma trajetória de superação e inspiração para muita gente. O fundador da Fico transformou a marca em febre nos anos 80 com a venda de carteiras e mochilas emborrachadas, e assim, convenceu a família (e o mercado) sobre as possibilidades comerciais do surfe. Não bastasse isso, Raphael também desafiou a medicina ao impor sua força de vontade como parte do tratamento contra a esclerose múltipla. Leia mais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.