Conheça duas startups brasileiras que fazem sucesso e atraem investidores estrangeiros

Série especial sobre startups começa hoje e vai até domingo; todo dia uma matéria diferente sobre o tema

MARCELO OSAKABE, ESPECIAL PARA O ESTADO,

22 de janeiro de 2014 | 06h35

Depois de anos de forte crescimento, o mercado de startups suspirou. A falta de dinamismo econômico, experimentada nos últimos anos, tirou do País a posição de 'bola da vez' dos investidores internacionais, afugentando o dinheiro disponível para boas ideias. Por outro lado, cresceu no Brasil o número de eventos destinados a promover e integrar a comunidade de startups. E isso significa uma coisa: amadurecimento.

"Foi um ano diferente, nem melhor, nem pior", afirma o presidente da Associação Brasileira de Startups, Gustavo Caetano. "Por um lado, os investidores estrangeiros colocaram um pé no freio. Por outro, os empreendedores estão mais maduros, apresentando projetos melhores".

Por isso, o País apresenta bons exemplos de sucesso. Um dos mais conhecidos é o caso do Easy Taxi, aplicativo para smartphone que encontra o táxi mais próximo do usuário. Lançado em abril de 2012 pelo mineiro Tallis Gomes,  o aplicativo cresceu em média 112% por mês desde setembro do mesmo ano. E isso em um mercado bastante competitivo, com muitos outros aplicativos parecidos. A Easy Taxi conta com 90 mil taxistas cadastrados e cerca de 3 milhões de usuários.

:: Leia também ::

Os vales brasileiros de desenvolvimento de startups

Pesquisa avançada pode ser trunfo de Campinas

Regiões buscam ampliar relevância no País

O sucesso não passou despercebido dos investidores, e a empresa recebeu apenas este ano um total de R$ 54 milhões em aportes de fundos como Rocket Internet, Milicom e iMena, principalmente para expandir sua atuação no exterior. "De certa forma, fizemos quase tudo o que precisávamos no Brasil. Estamos nas maiores cidades, nas sedes da Copa. Vamos continuar expandindo aqui, mas também vamos crescer no exterior",  afirma Tallis, CEO da empresa. Hoje, a Easy Taxi já atua em mais cidades no exterior que dentro do País. São 29 lá fora contra 27 aqui. "A gente brinca que está jogando War, quer dominar o mundo", brinca.

:: Confira um vídeo sobre a empresa ::

Gerenciador financeiro

Outra empresa que não viu tempo ruim com investidores estrangeiros foi a ContaAzul, que fornece uma plataforma online de gerenciamento financeiro para micro e pequenos empreendedores. Ela fechou 2013 com duas rodadas de investimento de fundos como 500 Startups, Monashees, Ribbit Capital e Napkn Ventures. O último aporte divulgado também contou com a participação da Valar Ventures, que tem entre seus sócios o cofundador do PayPal, Peter Thiel. O valor dos aportes não foi divulgado.

"Não estávamos realmente buscando mais investimentos agora. Mas vimos o interesse dos investidores e decidimos usá-lo para ganhar uma vantagem sobre o resto do mercado, que sofreu mais com captação este ano", afirma um dos fundadores da empresa, Vinícius Roveda. A ContaAzul, que existe desde 2012 e atua num mercado que deve chegar a 10 milhões de MPEs em 2015, tem hoje uma folha de dez mil usuários pagantes e cerca de 20 mil novas empresas que testam o produto todo mês.

:: Confira um vídeo sobre a empresa ::

SERVIÇO

Feira do Empreendedor

Local: Expo Center Norte - Pavilhão Verde, São Paulo

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme

Data: de 22 a 25 de fevereiro

Sábado e domingo: 10h às 21h

Segunda e terça-feira: 13h às 21h

Entrada franca

Inscrições no site: feiradoempreendedor.sebraesp.com.br

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.