Divulgação
Divulgação

Conheça a história do restaurante japonês em que o cardápio digital fica na própria mesa

Projetado na mesa, menu de restaurante na Inglaterra permite que clientes escolham seus pratos sozinhos

estadão pme,

27 de março de 2012 | 14h23

Quem quiser comer comida japonesa em Londres, capital inglesa, pode se surpreender ao entrar no restaurante Inamo. Para pedir os tradicionais sushis e sakês, o restaurante oferece um moderno menu interativo, proporcionando uma experiência única em um jantar.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

O menu é projetado na mesa e o cliente escolhe, com a ajuda de um mouse, qual prato quer comer. Para ajudar na escolha, o prato recebe a projeção da foto da iguaria escolhida, ao lado de uma caixa de texto com informações como ingredientes e preço.

Além de escolher seu pedido, o cliente pode escolher a decoração da mesa, trocando a estampa da toalha virtual e ver ao vivo, através de câmeras, os chefes trabalhando nos pratos que acabaram de pedir. Para fidelizar os consumidores, o restaurante ainda oferece promoções como sobremesas grátis para reservas fora do horário de pico e o serviço de agendamento de táxis, que pode ser feito também no cardápio projetado na mesa.

Inovação brasileira

Os menus interativos também fazem sucesso no Brasil e são a mais nova aposta empresas voltadas à modernização de restaurantes. Com a ajuda de aplicativos especialmente projetados, os menus ganham funcionalidade multimídia que permitem que o consumidor interagir com o cardápio.

Em São Paulo, o Bar Brahma investiu no menu interativo em ipads, usando o sistema da empresa Esys Colibri, que desenvolveu um aplicativo voltado para cardápios. No bar Wall Street, também na capital paulista, conta um software desenvolvido especificamente para a casa.

Desenvolvido pela Vipware o programa permite que o cliente faça os pedidos sem ajuda de garçom em telas touch screen e ainda ajude na proposta da casa, que segue a lógica da bolsa de valores. Os produtos mais pedidos são valorizados e seus preços aumentam, enquanto os menos pedidos têm o menor preço, assim como a lei de oferta e demanda.

Conheça a história do restaurante londrino no vídeo abaixo:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.