Reprodução
Reprodução

Conheça a fábrica de tesouras chinesa com 350 anos de história

Marca nasceu nos últimos anos da dinastia Ming e hoje tem 1,5 mil empregados e fatura R$ 79,6 milhões ao ano

Estadão PME,

24 de maio de 2013 | 18h00

Todos os negócios, sejam eles pequenos, médios ou grandes, passam por turbulências ao longo de sua história. No entanto, uma empresa da província de Chequião, na China, pode reivindicar para si o direito de figurar entre as campeãs nesse quesito. 

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Afinal de contas, com 350 anos de vida, a fábrica de tesouras Hangzhou Zhang Xiaoquan encarou quedas de dinastias, guerras, revoluções e transformações sensíveis no cenário macroeconômico até chegar aqui, em pleno 2013, com 1,5 mil funcionários e faturamento anual de US$ 40 milhões (cerca de R$ 79,6 milhões) ao ano.

A história dessa centenária marca de tesouras ganhou destaque no site da BBC, que esteve lá com sua reportagem, conversou com seu atual sucessor, que tem o estado chinês como sócio, e tentou desvendar os segredos da vitalidade do empreendimento, que é sinônimo de qualidade entre as donas de casa locais.

"Nosso fundador tinha um lema", diz o atual gestor, Ding Chenghong, tentando explicar o segredo do sucesso da empresa. "(Ele dizia que) é preciso ter um bom aço e um excelente artesanato".

De fato, a fama das tesouras Hangzhou Zhang Xiaoquan foi construída na base da performance do produto. Resultado obtido quando o artesão Zhang Jiasi, nos últimos anos da dinastia Ming, decidiu misturar aço fundido à lâmina de aço tradicional, usando alta temperatura e uma potente marreta. O processo, então absolutamente novo na metalurgia, deu à tesoura uma mordida mais firme e um corte preciso. Com isso, o produto rapidamente caiu nas graças das donas de casa chinesas do século 17. E se mantém assim até hoje.

O produto, obviamente, mudou bastante nos últimos 350 anos. As alças de aço deram lugar às de plástico. E a pequena produção artesanal, que ainda é mantida para fins de se contar a história da empresa e para encomendas do produto  nos padrões centenários, hoje abriga 1,5 mil operários, que preparam em média sete milhões de tesouras (comercializadas entre R$ 6 a R$ 10 cada) e 3 milhões de facas.

"Atualmente, o aço que a gente usa ainda é diferente dos outros fabricantes. A tonelada do aço mais barato custa certa de 8 mil yuans (cerca de R$ 2.594). A tonelada do nosso aço custa em torno de 12 mil yuans (cerca de R$ 3.892)", conta Chenghong.

Outro destaque da empresa é quanto ao seu posicionamento. Fosse em qualquer lugar do mundo, uma marca chancelada por 350 anos de história tentaria utilizar-se do fato para um posicionamento premium. E talvez ir buscar os louros desse fenômeno centenário no mercado internacional. No entanto, no caso da Hangzhou Zhang Xiaoquan, ela permanece praticamente desconhecida dos consumidores globais. As exportações das marca não representam meio por cento do faturamento anual, que gira em torno de R$ 79,6 milhões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.