Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Confira três tendências que não dá para ignorar se você pensa em empreender

Saiba porque você precisa conhecer o novo perfil dos consumidores e a importância da customização

estadão pme,

10 de julho de 2012 | 12h20

 Novo perfil do consumidor, customização e mercado diferente e amplo. Essas três tendências fazem parte da nova rotina dos empreendedores ligados ao comércio. E se você não tem a menor ideia do que elas significam, é melhor ficar preocupado.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Para ajudar o comerciante, porém, o Estadão PME reuniu informações sobre essas tendências para que o proprietário de uma pequena loja possa não apenas estar preparado, mas também seja capaz de lucrar cada vez mais.

Novo perfil do consumidor

Ele mudou. E um exemplo cabal disso talvez seja o fenômeno das mamães modernas.  Elas são muito detalhistas, muito exigentes e muito, muito ocupadas. Nas mães, todas as características comuns às consumidoras se intensificam. Por isso, atender bem esse público é uma tarefa que exige, sobretudo, paciência. Mas as empresas que atingem esse objetivo, agregando conveniência e segurança no momento da compra, têm sempre o esforço recompensado.

Essa mudança de perfil já alterou a rotina da loja de decoração de quartos infantis Belle Petit, fundada em 1997. As sócias Adriana Romero e Vanessa Valle contam que, quando eram os homens que davam a palavra final sobre os custos da decoração do quarto do bebê, as vendas eram mais magras.

“Os pais são objetivos e não gostam de gastar muito com decoração”, conta Vanessa. Mas hoje o cenário mudou. “Muitas mulheres vêm sozinhas até a loja, com seu próprio dinheiro. Elas dão mais importância ao nosso serviço e, como não precisam consultar o marido para decidir o valor da compra, gastam mais”, afirma a empreendedora.

Customização

O cliente quer ser cada vez mais diferente, diferenciar-se por meio das suas compras. Por isso, pense em vender itens restritos, quase personalizados. Se o comerciante souber usar essa característica como argumento de venda, o sucesso atualmente é quase garantido.

Com tecidos variados, pingentes e tiras, Priscila Callegari, por exemplo, crioucriou acessórios que podem ser acoplados aos calçados, criando modelos novos a cada aplicação. Nascia assim, em 2008, a Ciao Mao.

Compras populares

Outra alternativa interessante para quem já tem ou pretende abrir um comércio é apostar na internet - mais do que isso, apostar na internet com foco nas classes populares.

O aumento de renda da população das classes C e D, observado nos últimos anos no País, provoca atualmente uma nova onda de consumo, desta vez, pela internet. E os pequenos e médios empresários têm tudo para aproveitar o momento para aprimorar – e até mesmo desenvolver – suas plataformas de vendas online. O resultado será um só: ampliação das vendas e, como consequência, do faturamento do seu empreendimento.

Os números são animadores. Oito em cada dez internautas brasileiros pertencem ao que se convencionou chamar de ‘nova classe média’. Trata-se de uma fatia da população que, segundo dados do instituto de pesquisas Data Popular, movimenta R$ 378 bilhões em salários anualmente e que compra pela web tudo aquilo que até então não podia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.