Divulgação
Divulgação

Confiança do consumidor brasileiro aumenta em setembro

Pesquisa mede o otimismo em relação à situação financeira do consumidor

agência estado,

18 de outubro de 2011 | 16h33

Pesquisa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostra que o brasileiro segue otimista quanto à sua situação financeira para os próximos seis meses. O Índice Nacional de Confiança (INC) de setembro, divulgado nesta terça-feira, subiu para 154 pontos, 4 acima do nível registrado em agosto. Na comparação com setembro do ano passado, a alta foi de um ponto. O INC varia de 0 a 200 pontos - e o otimismo é caracterizado acima dos 100 pontos.

Quase metade dos entrevistados (47%) respondeu considerar boa sua situação financeira, a mesma porcentagem apurada em setembro do ano passado e uma pequena queda em comparação aos 49% de agosto de 2011. Aqueles que enxergam suas finanças em situação ruim subiram de 28% para 29%, acima do índice de setembro de 2010 (26%). E 42% dos entrevistados acreditam que a economia da sua região ficará mais forte nos próximos seis meses, ante 39% em agosto. Já o porcentual de brasileiros que preveem o contrário subiu de 13% para 14%.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Para a ACSP, os dados mostram que o brasileiro vê um aperto na situação financeira, mas ainda mostra otimismo quanto ao futuro. "Os dados da pesquisa sugerem que o consumidor está mais responsável pelo orçamento, tentando guardar dinheiro e acreditando que a partir de 2012, com a alta do salário mínimo, a situação financeira vai melhorar e permitir um retorno às compras", disse o presidente da entidade, Rogério Amato, por meio de nota.

O otimismo para compras de eletrodomésticos se manteve em setembro, com 43% dos entrevistados se sentindo à vontade para adquirir uma geladeira ou um fogão, por exemplo. Aqueles que se veem com pouca disposição somaram 29%. Além disso, a pesquisa mostra que 40% se sentem seguros no emprego, ante 38% em agosto. "Esses números mostram que o consumidor mantém a confiança no emprego, mesmo com as notícias da crise internacional", afirmou comunicado da ACSP.

Na divisão por classes, a mais otimista é a C, que manteve os 155 pontos em setembro. Já as classes A/B e D/E aumentaram a confiança, que passou, respectivamente, de 143 para 154 pontos e de 133 para 135 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.