Como vender mais no último fim de semana antes do Dia das Crianças

Qualidade no atendimento, bom preço e mix variado de produtos são alguns dos segredos para lucrar na data

Ligia Aguilhar, Estadão PME,

06 de outubro de 2011 | 08h06

Os varejistas estão otimistas com as vendas para o Dia das Crianças deste ano. De acordo com a pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial, 53% dos entrevistados esperam crescimento do faturamento na data. Os shopping centers também estimam resultados positivos. Um levantamento da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) aponta expectativa de crescimento de 13% nas vendas para o dia 12. 

Para alcançar os resultados desejados, os lojistas precisam investir sobretudo no último fim de semana anterior a data, quando o movimento à procura de presentes tende a aumentar. “A ação deve começar com uma antecedência de pelo menos um mês. E nos últimos dias o empresário deve usar algum chamariz para atrair a garotada”, diz o consultor Wagner Campos, da True Consultoria.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

O primeiro passo para chamar a atenção é cuidar da aparência da loja - a música ambiente e a decoração devem ser adequadas para o público que se espera atrair. E saber o que esse público gosta é fundamental para não causar efeito inverso ao desejado. “Tocar uma música que seja modinha entre as crianças pode ser mais interessante do que recorrer a música infantil tradicional”, diz Campos.

::: Veja galeria de fotos da loja Fábrica - Ideias para Crianças :::

A disposição dos produtos também deve ser feita de forma a atrair os clientes. Itens com maior valor agregado e popularidade devem ficar na ponta das gôndolas, onde podem ser encontrados com mais facilidade. Já o preço deve estar em local visível. “Não recomendo que as lojas foquem totalmente sua estratégia em descontos para não terem sua imagem ligada apenas às promoções. Facilitar a forma de pagamento é mais interessante”, explica o consultor.

Por fim, a qualidade do atendimento é fundamental para decisão de compra do consumidor na reta final das vendas. Como o movimento tende a aumentar muito com a proximidade da data, uma opção é contratar funcionários temporários para garantir que ninguém saia da loja  sem ser atendido. “O acúmulo de pessoas gera impaciência e a tendência é que o consumidor saia de um estabelecimento para ir a outro”, diz Campos.

Apostar em monitores infantis para organizar jogos e brincadeiras com as crianças ou até mesmo algum evento, como a apresentação de uma pequena peça de teatro, também são recursos que ajudam a atrair clientes e, consequentemente, aumentar as vendas.

Estratégias.  Na rede de lojas Armarinhos Fernando é quase impossível encontrar outro tipo de produto que não seja brinquedo nesta época. Cerca de 80% do espaço físico das lojas está ocupado com itens para o dia das crianças. Parte da estratégia do grupo está no expressivo volume de compras, o que permite a negociação de descontos agressivos. Para chamar a atenção do consumidor, os brinquedos foram agrupados em ilhas de produtos do mesmo tipo e as ofertas são anunciadas ao longo do dia por meio do sistema de som da loja. “Dessa forma eu consigo criar tumulto nessas ilhas e atiçar a curiosidade dos clientes”, diz o gerente geral da loja matriz, Ondamar Ferreira.

Este ano, o estabelecimento adquiriu um volume 20% maior de brinquedos em relação ao ano passado e espera aumentar as vendas em até 8%. A aposta foi em produtos novos no mercado, como tentativa de diferenciar a rede da concorrência. Toda a operação do dia das crianças foi planejada com quatro meses de antecedência para que não sobre produto em estoque. “Se algo sobrar, fica para o Natal”, afirma Ondamar.

Já a comerciante Sueli Gondim, da loja Fábrica - Ideias para Crianças, está preocupada com o comportamento do consumidor. “Antes as pessoas vinham na loja e compravam sem se preocupar com o preço. Hoje elas fazem pesquisas para descobrir qual estabelecimento oferece o melhor custo”, diz. Ainda assim, ela espera um incremento de 10% nas vendas. Para atrair os consumidores no último fim de semana antes do Dia das Crianças, Sueli organizou uma programação especial de eventos na loja, que inclui oficina de artes e contadores de histórias.

A escolha do mix de brinquedos também foi baseada na inovação. Sueli participou de diversas feiras ao longo do ano em busca de novidades. “Hoje eu tenho produtos para todos os gostos e bolsos”, diz. A equipe de atendimento foi reforçada com novos funcionários. Quem demonstra motivação extra e atende bem os clientes tem chance de ter o contrato estendido até o Natal. “O que o cliente mais quer quando a loja está cheia é atendimento ágil e personalizado”diz. O retorno do investimento aparece ao longo do ano.  Cliente bem atendido, Sueli garante, é cliente fidelizado. 

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Shoppings esperam alta de 13% nas vendas do Dia das Crianças ::

:: Empresas estão menos otimistas com o Dia das Crianças 2011 ::

:: Consumidor vai comprar como nunca e lojista deve estar preparado ::

:: Varejo deve fechar 2011 com alta de 10% nas vendas ::

:: Empresário está otimista com vendas, diz pesquisa ::

Tudo o que sabemos sobre:
VendasVarejoComércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.