Divulgação
Divulgação

Como impulsionar seu negócio nas redes? Especialista do Facebook dá dicas

Leo Bonoli, head de Marketing para Pequenas Empresas do Facebook na América Latina, responde dúvidas sobre como usar ferramentas de Facebook e Instagram para aumentar vendas

Juliana Pio, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2021 | 05h00

Importantes aliadas dos empreendedores e profissionais autônomos, as redes sociais são ferramentas acessíveis para conquistar clientes e ampliar a visibilidade no mercado online. Independentemente do orçamento disponível, empresas menores podem fazer frente aos grandes concorrentes no Facebook e no Instagram. É o que garante Leo Bonoli, head de Marketing para Pequenas Empresas do Facebook na América Latina.

“Muitas vezes, achamos que marcas maiores acabam tendo, por cada real investido, uma entrega melhor de conteúdo do que uma pequena empresa e é exatamente o contrário. Essa é a grande vantagem e a beleza das redes sociais”, destaca o especialista, convidado de bate-papo no último dia 2, no grupo Estadão Carreira e Empreendedorismo (@gruposuacarreira), no Telegram

Segundo Bonoli, para alcançar novos consumidores é preciso uma boa comunicação e conhecimento profundo do público-alvo. “Evidentemente que companhias maiores têm orçamentos robustos. Mas para cada real investido no Facebook e no Instagram, seja pela pequena ou pela grande empresa, vocês estão competindo em pé de igualdade pelo mesmo público. O que vai fazer a diferença é a autenticidade, a criatividade e a verdade por trás do anúncio.”

Em conversa com leitores do Estadão, o especialista em PME do Facebook Inc. respondeu 14 perguntas sobre como aproveitar ao máximo as ferramentas disponíveis nas redes sociais para impulsionar os negócios e deu dicas de treinamentos gratuitos da companhia. 

“É importante se manter informado sobre as atualizações e as melhores práticas que o Facebook, o Instagram, o Messenger e o WhatsApp têm para oferecer, para ajudar no desenvolvimento e no crescimento da sua empresa”, salienta Bonoli. Confira o papo no player abaixo ou na transcrição do texto.

Fernando Ribeiro: com as mudanças recentes do Instagram e do Facebook, devo produzir somente conteúdos em vídeo e deixar as imagens com texto de lado? 

A gente tem observado mudanças na forma como as pessoas criam e desenvolvem conteúdos e o vídeo acabou se tornando o formato preferido para divertir, contar história e se conectar com o seu público. 

Recentemente, uma fala do CEO do Instagram, Adam Mosseri, acabou sendo tirada de contexto e gerou bastante repercussão. Acho que é um pouco disso que o Fernando está falando, sobre deixar imagens de lado e o Instagram acabar se tornando uma plataforma exclusivamente de vídeo. 

Muitas das experiências que queremos criar no Instagram tem o vídeo como parte das histórias e do que a gente quer ver dentro da plataforma. Em nenhum momento, Adam disse que o Instagram vai deixar de ter fotos, pelo contrário. Ele disse que a rede não é só um aplicativo de compartilhamento de fotos quadradas, como era em 2010. Até porque as tecnologias já avançaram muito desde então, seja para captação de vídeos e até para edição no celular. 

O que as pessoas fazem hoje no Instagram com os diferentes formatos e superfícies disponíveis, como stories, IGTV e reels, vai muito além do compartilhamento de fotos e por isso é importante ter em mente uma estratégia que englobe não só imagens como também essas novas ferramentas. 

Adauto Lemos: qual a dica para errar menos, ter menos bloqueios e maior efetividade no trabalho das empresas nas redes sociais?

É importante se manter informado sobre as novas ferramentas e as melhores práticas que o Facebook, o Instagram, o Messenger e o WhatsApp têm para oferecer, para ajudar no desenvolvimento e no crescimento do seu negócio. Ao longo da conversa, vou deixar links de treinamentos gratuitos e oficiais do Facebook, que todos podem fazer para garantir que estejam atualizados com as melhores práticas. 

Com relação ao ponto de evitar bloqueios, o mais importante é estar sempre atento aos padrões da comunidade. Neste link você encontra os padrões da comunidade do Facebook, que é a melhor fonte para qualquer usuário ou empresa consultar e saber o que pode e o que não é permitido dentro das plataformas. 

Roberta Rosenburg: você recomenda que uma pequena empresa contrate um profissional para ajudar com as mídias digitais? 

Pequenas empresas estão em diferentes momentos e estágios de maturidade, mas se você tem um orçamento que caiba a contratação de um profissional, ou agência, para auxiliar no desenvolvimento da sua presença online e nas redes sociais, sem dúvida, recomendamos esse tipo de profissionalização. 

O Facebook tem uma rede de parceiros, chamada Facebook Business Partner, que pode ajudar. Eles são treinados e capacitados pelo Facebook para auxiliar no gerenciamento de campanhas, desenvolvimento de plataformas criativas, mensuração, dados de conversão etc. Nesse link você pode encontrar o melhor parceiro para o momento da sua empresa. 

Bárbara Carvalho: como conseguir fazer o direcionamento certo de público no Facebook Ads? Acho difícil fazer a filtragem e alcançar o público do meu negócio, no caso, moda. Você tem alguma dica?

O mais importante para conseguir fazer um direcionamento certo por meio do Facebook Ads é conhecer muito bem o seu público. No seu caso, por exemplo, um negócio de moda, é importante saber quais são os gostos e os interesses que o seu público tem para conseguir fazer com que a sua propaganda, a sua campanha, chegue às pessoas certas. 

Quais são os gostos? Que tipo de recorte socioeconômico e demográfico essas pessoas têm? São roupas femininas? Então, você consegue segmentar para mulheres. São para uma determinada faixa etária? Você também consegue segmentar isso. São de uma determinada localização? Tem como fazer a geolocalização para que só pessoas daquela região recebam o seu anúncio. 

Esse episódio da última temporada do Impulsione com o Facebook, nosso programa de treinamento para pequenas empresas, fala exatamente de como criar anuncios personalizados para atingir o seu público. 

Juliana Pio: quais recursos do Facebook ainda são pouco explorados pelos usuários e que são importantes para as empresas?

Em termos de ferramentas, não posso deixar de falar do Mobile Studio. É um recurso gratuito com várias dicas sobre como começar a vender e acessar aplicativos que vão ajudar a produzir posts, stories e vídeos da forma mais criativa possível. 

O Mobile Studio é o lugar certo para aprender a criar bons anúncios direto do telefone. Você vai encontrar alguns tutoriais fáceis de seguir, um modelo de planejamento para download e algumas dicas de aplicativos que podem ajudar a criar campanhas mais criativas e produções mais elaboradas sem precisar gastar nada.  

Uma outra ferramenta super importante são as lojas do Facebook. Há muitos anos as pessoas têm usado os nossos aplicativos para vender e comprar, antes postando a foto de uma bicicleta com uma legenda à venda ou oferecendo sua mesinha de café no marketplace, e, mais recentemente, comprando de suas marcas e influenciadores favoritos no Instagram. 

O recurso de lojas do Facebook facilita os negócios a montarem uma loja online para que os clientes acessem diretamente via Facebook ou Instagram, sem precisar sair do aplicativo. Criar uma loja no Facebook Shops é simples e gratuito. As empresas podem escolher quais são os produtos do mostruário que desejam colocar no catálogo, customizar a aparência da loja, com uma foto de capa, e definir as cores que mais tem a ver com a sua marca.

Na prática, isso significa que qualquer vendedor, não importa o tamanho do seu orçamento, quanto fature ou venda, pode digitalizar o seu negócio e se conectar com clientes onde e da maneira que for mais conveniente.

Por último, outro recurso gratuito que indico é o Impulsione com o Facebook. É um programa de desenvolvimento de micro e pequenas empresas nas ferramentas de divulgação e vendas no Facebook, Instagram, Messenger e WhatsApp. 

O objetivo do Impulsione com o Facebook é reunir a comunidade empreendedora para oferecer oportunidades de conexão entre os pequenos negócios e dar acesso a conteúdo com um potencial de impacto direto nos negócios da sua empresa. 

Além disso, dentro da página do Facebook para Empresas também tem o grupo do Impulsione com Facebook, que já conta com cerca de 50 mil pequenos negócios do Brasil, onde todos trocam experiências e aprendizados e a gente sempre posta conteúdos novos.

Tania Guertas: depois do conteúdo pronto, como aparecer e chegar ao meu público-alvo, principalmente, via Instagram?

Um vez que seu conteúdo está pronto e desenvolvido, para entregar e aparecer para o seu público-alvo, especialmente o que não curte a sua página e que não está na sua base de seguidores, falando especificamente do Instagram, o meu conselho é que você tenha uma conta no gerenciador de anúncios e comece a fazer campanhas personalizadas para atingir e impactar essas pessoas. 

Os links que mencionei anteriormente, especialmente o que fala de anúncios personalizados, ensinam o passo a passo. No gerenciador de anúncios, você consegue, inclusive, segmentar em qual plataforma, por exemplo Facebook ou Instagram, esses anúncios vão ser disponibilizados. Recomendo que você tenha uma conta no Ads Manager, gerenciador de anúncios, e comece a fazer alguns anúncios personalizados para chegar ao seu público. 

Gabriela Tavares: como entregar nosso conteúdo sendo empresa pequena e concorrendo com grandes marcas? Por exemplo, se filtramos por uma hashtag de alta costura, vou competir com empresas como Chanel. Como consigo ter entrega pagando menos e usando os mesmos filtros?

Muito boa essa pergunta. Muitas vezes a gente acha que grandes marcas e empresas, por contarem com um orçamento maior, acabam tendo, por cada real investido, uma entrega muito melhor do que uma pequena empresa e é exatamente o contrário. A grande vantagem e beleza das redes sociais, principalmente o Facebook e o Instagram, é que o R$ 1 da Chanel vai alcançar a mesma quantidade de pessoas que o R$ 1 da sua marca. 

Na verdade, você tem um potencial de atingir mais pessoas se o seu anúncio for mais criativo, se conhecer melhor o seu público e se conseguir se comunicar com verdade e autenticidade. Evidentemente que grandes empresas têm orçamentos maiores. Mas para cada real investido, seja pela pequena ou grande empresa, vocês estão competindo em pé de igualdade pelo mesmo público. O que vai fazer a diferença é a autenticidade, a criatividade e a verdade por trás do seu anúncio. 

E como que se consegue fazer isso? Conhecendo muito bem o seu público. Não é atoa que 200 milhões de empresas no mundo inteiro usam essas ferramentas gratuitas do Facebook, Instagram, Messenger e WhatsApp para alcançar novos clientes, vender e crescer. 

Também é importante reforçar o quanto o Facebook tem sido um grande apoiador de pequenos negócios e de negócios locais que, num contexto de pandemia, passaram a ser ainda mais valorizados e necessários para o desenvolvimento das economias. A forma que você tem para competir com grandes marcas é investir nesse apelo do negócio local, do seu público alvo que você já conhece, segmentando para ele, principalmente, via grupos, onde a valorização dos pequenos negócios é muito forte.

Sidnei Zanotti: além dos links já compartilhados, poderia indicar treinamentos do Facebook?

Você também pode acessar os cursos do Facebook Blueprint. Nesse link tem centenas de módulos de treinamento gratuitos.

Verônica Campello: o Instagram foi o início. Começamos apresentando alguns vídeos curtos. Passamos de 200 para 200 mil seguidores vendendo cursos em plataformas específicas. Quando o Instagram vai oferecer condições próximas ao YouTube para o desenvolvimento de parcerias comerciais?

Diria que a principal ferramenta, entre as que já foram lançadas e várias outras que estão no caminho, é o IGTV, onde você pode publicar vídeos mais longos e conteúdos bem diferentes dos vídeos curtos, como você bem disse, do início do Instagram. 

Além disso, existe uma série de ferramentas para monetização desses conteúdos nesse link que fazem parte do programa para criadores de conteúdo do Facebook. Recomendo que você dê uma olhada. Certamente tem uma solução de parcerias e potencialmente de monetização que vai atender ao seu negócio

Luiza Nicolato: como impulsionar o Instagram quanto ele atinge um platô de crescimento?

O platô de crescimento de uma conta do Instagram só é atingido quando você esgota a sua audiência, quando se tem dentro da base de seguidores todo mundo daquela audiência específica, o que é bem pouco provável. A minha dica é sempre trazer campanhas novas com segmentações diferentes para que você atinja o público que ainda não está na sua base de formas diferentes, com histórias, criativos e mensagens distintas. 

Com a marca sempre renovada e campanhas diferentes, o platô de crescimento não existe e a sua página continua crescendo. Agora, especificamente como fazer isso, o gerenciador de anúncios tem as melhores ferramentas para você fazer campanhas, construir segmentações e atingir esse público para que o seu Instagram continue crescendo. 

Aline Thomaz: quando o Facebook terá assistência por telefone para anunciantes, assim como o Google?

O Facebook continua investindo bastante para ampliar a capacidade no Brasil de atendimento via telefônico, humanizado, para anunciantes de todos os tamanhos. Alguns já contam com esse atendimento e temos planos para que muito em breve 100% da nossa base tenha o mesmo tipo de suporte. Além disso, temos a Central de Ajuda para Empresas, que pode ser acessada aqui.

Carolina Werneck: como podemos ter sucesso sem ficar reféns das atualizações constantes das redes?

A atualização constante é o que faz as redes sociais continuarem se desenvolvendo. O Facebook de hoje é muito diferente do que foi lançado lá atrás e o Instagram também. Essas atualizações são frutos de muita conversa e pesquisas com os usuários da plataforma. De alguma forma, as atualizações refletem melhorias que são desejadas pela própria comunidade. Como continuar tendo sucesso? Diria que se manter atualizado, saber quais são essas mudanças e usá-las a seu favor.

Sam: como fazer o approach B2B pelo Facebook, que é voltado para usuários finais?

Quem trabalha com B2B (business-to-business), de fato, precisa de uma abordagem mais sofisticada porque estamos pressupondo uma interação entre uma empresa e outra. Só que um dos maiores erros que são cometidos nessa comunicação B2B é considerar que o interlocutor é uma empresa. Se um negócio, por exemplo, comercializa artigos hospitalares, deve conversar com compradores de hospitais e clínicas, administradores, médicos e pessoas que participam de grupos de gestão hospitalar. 

Esse é um tema bastante amplo e convido vocês a acessarem esse link com dicas práticas para fugir de conversas robotizadas, para criar vínculos com os clientes e potenciais consumidores, que vão desde usar recursos de áudio até apresentar a equipe da sua empresa nas redes. 

Rafael Justino: com o crescimento do marketing de conteúdo e do inbound marketing, como você vê as plataformas do Facebook fazendo parte da estratégia de geração e nutrição de leads, antes de levá-los para o momento de compra?

As ferramentas do Facebook são essenciais na estratégia de inbound marketing para atrair potenciais leads e nutri-los ao longo de todo o funil de conversão. O Facebook e o Instagram, na minha opinião, são fundamentais tanto no momento da descoberta, para despertar o interesse no topo do funil, quanto nutrindo esses leads, contatos e potenciais consumidores com ferramentas de retargeting e conversas que gerem engajamento. 

Além disso, tem uma porção de soluções proprietárias dentro do próprio Facebook, como, por exemplo, o Leads Ads Forms, que te oferecem oportunidade de captar leads sem gerar muita fricção no usuário e no potencial consumidor ao fazê-lo deixar a plataforma para ir para um outro lugar para disponibilizar os dados da sua empresa. 

Um ponto superimportante é que as ferramentas de mensageria, como Messenger, WhatsApp e Instagram Direct, também tem um valor importante nessa jornada, porque a gente sabe que o consumidor está mais propenso a concluir o seu processo de compra quando ele percebe que tem uma marca ou uma empresa que responde as suas dúvidas. Em todo esse funil de conversão, as ferramentas são super importantes para uma estratégia eficiente e para que a conversão aconteça de uma forma melhor. 

Bate-papo no Telegram

Perdeu nossos últimos encontros no Telegram? Confira outra conversas com os leitores realizadas no @gruposuacarreira:

  1. Saúde mental e inteligência emocional, com o psquiatra Eduardo Tancredi, do eCare Group
  2. Estágio e primeiro emprego, com Tiago Mavichian, CEO da Companhia de Estágios
  3. Autoconhecimento na vida profissional, com Leandro Karnal
  4. Como usar o LinkedIn, com a editora de conteúdo da plataforma Claudia Gasparini
  5. Empreendedorismo feminino e carreira, com a empresária Camila Farani
  6. Diversidade e inclusão nas empresas, com a influencer e especialista em D&I Bielo Pereira
  7. Produtividade sustentável e saúde mental, com a jornalista Izabella Camargo
  8. Negócios e empreendedorismo, com Caito Maia, fundador da Chilli Beans e apresentador do Shark Tank Brasil
  9. Longevidade no mercado de trabalho, com o fundador e CEO da Maturi Mórris Litvak
  10. Recolocação no mercado de trabalho, com a headhunter Carolina Martins

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo. Se quiser apenas receber notícias, participe da nossa lista de distribuição por esse link ou digite @canalsuacarreira na barra de pesquisa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.