Divulgação
Divulgação

Comerciante transforma loja montada em garagem em e-commerce de mais de R$ 1 bilhão

Netshoes foi a vencedora na categoria Minha História de Sucesso do Prêmio Estadão PME

Mariana Desidério, especial para o Estado,

02 de outubro de 2014 | 06h55

Uma lojinha de sapatos de 50 m², instalada num estacionamento no centro de São Paulo, cujo banheiro foi transformado em estoque de produtos por falta de espaço melhor. Foi assim que começou, há 14 anos, a história da Netshoes, atualmente o maior e-commerce de artigos esportivos do mundo. A empresa venceu a categoria Minha História de Sucesso. “Para nós é uma alegria estar aqui. Temos muito orgulho de fazer parte dessa história”, afirmou o diretor de recursos humanos Sérgio Povoa, que representou a empresa na premiação.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Os fundadores da Netshoes, dois primos de origem armênia, tinham 20 e 25 anos quando tudo começou. “Montamos a loja no estacionamento do meu tio. Éramos dois moleques. Lembro que os fornecedores perguntavam se meu pai viria assinar o cheque e eu tinha que dizer que o responsável era eu”, relembra hoje com alegria o CEO da empresa, Marcio Kumruian. Apesar da pequena estrutura, a loja na rua Maria Antônia já nasceu anunciando que poderia inovar – o nome, com referência à internet, é o mesmo desde o início do negócio.

Hoje, a Netshoes vende artigos esportivos para todo o Brasil, Argentina e México. São mais de dois mil funcionários. Em 2013, a empresa anunciou faturamento de R$ 1,3 bilhão. A trajetória que liga aquela lojinha do passado à estrutura atual passa por algumas decisões cruciais. A principal delas foi investir em vendas online em pleno ano de 2002, quando muitas casas brasileiras conheciam apenas a internet discada.

Naquela época, os dois sócios estavam numa situação difícil. “Ficamos à beira de quebrar, e foi aí que tivemos o estalo. Passamos a conter todos os gastos e começamos a vender na internet”, conta Kumruian. O primeiro par de calçados só foi vendido pelo site no terceiro mês. “No quarto, vendemos dois. Já era um crescimento de 100%”, brinca o CEO.

A partir daí, as vendas online só aumentaram, com taxas de crescimento de 15% ao mês. Foi o sinal para a segunda decisão importante na Netshoes – em 2007 a empresa resolveu fechar as lojas físicas e se concentrar apenas nas vendas pela web. “Focar só na internet foi a decisão mais acertada que tomamos. De lá em diante o ritmo foi alucinante, com crescimento em torno de 130% ao ano”, lembra o empreendedor.

Na mesma época, Kumruian decidiu que venderia somente artigos esportivos. A ideia partiu da observação do público que comprava da empresa. “Boa parte dos nossos clientes na internet eram do interior e percebemos que os itens esportivos tinham mais apelo para esses consumidores.” Com o foco no e-commerce, a próxima decisão da empresa foi investir pesado em tecnologia. Em 2009, a Netshoes recebeu seu primeiro aporte financeiro, o que possibilitou colocar em prática essa resolução. “Nós viemos de uma loja física. Portanto, estamos sempre preocupados com a experiência do cliente. Nosso investimento em tecnologia está muito atrelado a essa questão”, explica Kumruian.

Entre as principais inovações está o Shoefitter, aplicativo que compara os tênis disponíveis na loja com o calçado do cliente para indicar a numeração ideal. Outra novidade é o Netshoes Click, app que identifica modelos de tênis a partir de fotos.

Além do seu próprio e-commerce, atualmente a Netshoes também administra diversas lojas oficias, como a da seleção brasileira de futebol, do UFC, NBA, e de clubes como Corinthians, São Paulo, Palmeiras, Santos e River Plate.

O crescimento da empresa nos últimos anos é expressivo. De 2010 a 2013, o faturamento saltou de R$ 366 milhões para R$ 1,3 bilhão. No mesmo período, o número de funcionários cresceu oito vezes: foi de 250 para cerca de dois mil. 

Diante de tanto crescimento, já se especula sobre a abertura de capital. “A Netshoes cresceu muito rápido e isso gera demandas. Encaro a abertura de capital como um passo que um dia vamos dar, mas não há pressa.”

CINCO CHAVES QUE EXPLICAM O SUCESSO

Respeitado com um dos principais e-commerces do Brasil e disputado por investidores, saiba os motivos que transformaram a Netshoes em case de setor

Visão

Em pleno ano de 2002, a Netshoes decidiu investir no sistema de vendas pela internet, já intuindo que esse poderia ser um campo promissor.

Foco

Ao perceber que a venda na web crescia mais que nas lojas, Kumruian fechou as unidades físicas e focou seus esforços no e-commerce.

Observação

Outra mudança foi se concentrar nos artigos esportivos. O empresário percebeu que o morador do interior gostava da prática esportiva.

Inovação

Uma das principais características da empresa é investir em tecnologia. A Netshoes tem aplicativos que ajudam a escolher melhor o produto.

Cautela

Kumruian afirma não ter pressa para fazer o IPO. Segundo ele, o momento é o de garantir a qualidade após alto crescimento.

NÚMEROS

130%

foi o avanço da empresa desde que o negócio de artigos esportivos passou a atuar exclusivamente na plataforma web.

100%

foi o crescimento da empresa do terceiro para o quarto mês. O fundador do negócio usa esse porcentual para brincar a respeito do início difícil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.