Site de Compras: Amazon estreia na liderança

Site de Compras: Amazon estreia na liderança

Multinacional amplia portfólio e ultrapassa concorrentes pela primeira vez

Redação, O Estado de São Paulo

29 de agosto de 2019 | 20h13

Com sua chegada ao Brasil, em 2012, a Amazon ganhou espaço no mercado nacional pela venda online de livros e e-books. Nos últimos dois anos, porém, vem investindo na expansão de seu catálogo de produtos, o que levou a norte-americana à liderança do Escolha PME pela primeira vez em 2019, com 67 pontos.

Confira o especial multimídia com os vencedores do Escolha PME 2019

“Em janeiro deste ano, anunciamos uma expansão nas categorias oferecidas no site, o primeiro centro de distribuição no Brasil, além de aumentarmos continuamente a variedade de produtos oferecidos”, afirma Marina Zveibil, gerente de Relações Públicas da Amazon.com.br. Atrás da Amazon estão as brasileiras Kalunga e Magazine Luiza, empatadas com 60 pontos.

Em terceiro lugar, vem a ex-líder do ranking, a Americanas, com 57 pontos. Em objeto de desejo, sem aparecer entre os melhores fornecedores do ano, o Mercado Livre se manteve na primeira posição, com 25% das respostas – 3 pontos percentuais a mais do que no ano anterior.

PMEs turbinam site da empresa no Brasil

Assim como em 2018, o principal critério de escolha dos empreendedores na hora de decidir pelo site de compras é a opção de serviços oferecidos. Neste ano, 66% deles avaliaram o portfólio e a qualidade dos produtos, bem como a rapidez no serviço, como os fatores mais importantes.

Ciente das exigências do setor, o site da Amazon no Brasil tem hoje mais de 20 milhões de produtos, divididos em 15 categorias, que incluem moda, esportes, livros, eletrônicos e utensílios para escritório. A loja vem investindo também em serviços de marketplace, que oferece às PMEs um canal de vendas online com ferramentas específicas para cada perfil de negócio.

Segundo Marina Zveibil, gerente de Relações Públicas da Amazon, metade dos produtos vendidos pela empresa no País vem de pequenos e médios negócios. “Esses parceiros de vendas podem utilizar as ferramentas disponíveis para ajudar a amplificar seus resultados sem a necessidade de criar um site próprio, de forma que eles possam focar na raiz de seus negócios: o produto.”

Kalunga prioriza experiência

Segunda colocada no Escolha PME por três anos consecutivos, a Kalunga busca facilitar as compras do setor corporativo com a prestação de serviços online que incluem venda faturada, troca e devolução pelo site e opções de assinatura com reposição automática de suprimentos de escritório.

De acordo com Felipe Algazi, gerente de Business Intelligence da Kalunga, a empresa brasileira – que possui e-commerce desde 2001 e mais de 200 lojas físicas – enxerga nos pequenos e médios empresários um nível de exigência cada vez maior, o que faz a loja investir em preços competitivos e atendimento personalizado ao setor. “Existe uma constante melhoria em processos como entrega, aprovação de crédito, separação de mercadoria, conferência e expedição”, acrescenta Algazi.

O executivo afirma ainda que a tecnologia tem papel fundamental no atendimento aos PMEs. “Além de todo investimento que fazemos em treinamentos com nosso pessoal, também agregamos tecnologia a isso. Um exemplo foi o desenvolvimento de uma urna de atendimento inteligente, que fornece informações dos pedidos em tempo real aos clientes”, conclui Algazi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.