Rodrigo Rezende/Estadão
Rodrigo Rezende/Estadão

Colecionador de SP aluga carruagens para noivas, TVs e debutantes há 25 anos

Negócio realiza em média oito eventos por mês; empresário tem até cavalo cor-de-rosa com olhos azuis

Rodrigo Rezende, Estadão PME,

13 de março de 2014 | 12h11

Maurício Tomaselli herdou do pai o gosto por criar cavalos. No final dos anos 1980, comprou uma carruagem e tomou gosto pelo assunto, tanto que tornou-se um colecionador. Há 25 anos, com a finalidade de levantar recursos financeiros para manter essa coleção, ele começou a alugar esse tipo de veículo  para casamentos, festas de debutantes e programas de televisão.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A coleção conta com 30 carruagens aproximadamente. O valor médio do aluguel de cada uma é de R$ 1,8 mil, mas há veículos que podem custar bem mais. Tomaselli conta que usa quatro carruagens para os eventos; as outras também podem ser alugadas, mas o preço é mais alto. "Se eu alugasse todas, o custo de manutenção seria muito alto", diz.

O aluguel inclui o cavalo - hoje Tomaselli tem quatro animais, entre eles um cavalo cor-de-rosa e com olhos azuis -, o transporte e o cocheiro. A empresa atende a cidade de São Paulo e outras regiões com no máximo 200 quilômetros de distância.

O empreendimento realiza, em média, oito eventos por mês, sendo que 70% a 80% deles são casamentos. As carruagens já foram usadas para casamentos de famosos, como da apresentadora de TV Mara Maravilha e o de Paulão, que foi jogador de vôlei da seleção brasileira. "Também participaram de cenas de novelas, como Terra Nostra, Sangue do Meu Sangue e O Quinto dos Infernos."

Tomaselli conta que muitas histórias foram marcantes, como a de um norte-americano que alugou uma carruagem para pedir uma brasileira em casamento, e ela aceitou, e a de um rapaz que alugou um cavalo para tentar recuperar a namorada, que era apaixonada por esse tipo de animal. Ele a esperou na frente da faculdade, mas neste caso nem o inusitado conseguiu impressioná-la. O final não foi feliz, pois ela negou.

:: Veja mais sobre o negócio no vídeo abaixo ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.