Chocolata
Chocolata

Clube de assinatura de chocolate quer também educar sobre produto

Assinatura da Chocolata vai enviar todo mês caixa com barras especiais e informações sobre origem do produto e sobre como degustar e identificar sabores

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2022 | 05h01

Mais tradicional nos mundos gastronômico e literário, os clubes de assinatura ganharam força na pandemia pela comodidade de receber produtos variados em casa. Ao aliar esse crescimento com a demanda dos clientes, o marketplace Chocolata, focado em chocolates finos de alta qualidade, lançou na última semana o serviço de assinatura com o diferencial de guiar e educar o consumidor na experiência de sabores e aromas. 

A novidade engrossa a fila de clubes desse tipo, que já conta, por exemplo, com Clube Cacau Tasters, Chocolatu, Cuore Di Cacao (com produtos próprios) e Chococlub (com chocolates fabricados artesanalmente em Gramado). Mais do que provar chocolates diferentes, a oferta é um meio de disseminar o mercado tree to bar (da árvore à barra) e bean to bar (da amêndoa à barra).

No caso da Chocolata, além das barras, os membros do clube receberão a roda de sabores, disponibilizada pela especialista e degustadora profissional Zélia Frangioni, e um caderno de sensações para anotar as impressões que de cada produto. São quatro planos de assinatura, todos por R$ 142,90 cada, com opções pela experiência Ao Leite, Intensa, Mix e Completa. A caixa vem com de quatro a seis barras escolhidas pela equipe, além de um produto de cacau - que não seja chocolate - no plano completo.

"A gente pensou em ter diferença (de preço para cada plano), mas para que seja acessível e universal, preferiu manter qualidade e oferecer quantidade razoável para ninguém ficar na dúvida. Um dos mais interessantes seria a experiência que tem outros produtos de cacau. É uma imersão no mundo do cacau", comenta Danilo Fortunato, diretor do e-commerce.

Ele reforça que o serviço é uma oportunidade para educar o consumidor que pouco conhece sobre a qualidade dos chocolates, produzidos sob rigoroso processo. Entre as marcas brasileiras que fazem essa produção com completo domínio e estão disponíveis na Chocolata estão Baianí, Gallette, Mestiço, VAR e Casa Lasevicius.

"Toda vez, vamos mandar um guia de sabores para que a pessoa faça um histórico de suas degustações. Ela vai entender o que esperar e vai começar a entender o produto. E vai ter um card para marcar quais são os que ela já completou", explica Fortunato.

Informações sobre a produção dos chocolates também serão enviadas a fim de que o consumidor conheça as variedades de cacau e como cada origem influencia nos sabores. "A pessoa pode experimentar o mesmo chocolate pela segunda vez e sentir outra coisa", diz.

Em menos de uma semana, o clube chega perto das cem assinaturas. O diretor estima que, em um ano, o serviço deve representar a principal fatia do faturamento, por ser algo recorrente e porque a empresa está investindo em novas marcas.

Nesse momento, a assinatura mínima é de três meses e o frete é cobrado mensalmente da seguinte forma: grátis para as regiões Sul e Sudeste, R$ 20 para Centro-Oeste e R$ 30 para Norte e Nordeste.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.