Cinco dicas para você contar com a tecnologia como aliada para o sucesso do negócio

Especialistas do mercado dão dicas sobre quais pontos o empreendedor deve considerar para iniciar o seu planejamento

Bruno de Oliveira, especial para O Estado,

12 de junho de 2015 | 07h10

O caminho trilhado pelas empresas que vivem um processo de crescimento passa mais pela tecnologia e isso é algo inevitável. No entanto, nem todo negócio - e nem todo empreendedor - está preparado para utilizar ferramentas e processos que proporcionam incrementos importantes de produtividade e eficiência.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

::Twiter::

::Facebook::

::Google::

Em termos pouco convencionais ao ambiente sisudo da tecnologia da informação, pequenas e médias empresas precisam "arrumar a casa" antes de abrirem o caixa e comprar equipamentos, contratar serviços ou selecionar novos profissionais.

É momento crucial na vida das PME onde não são raros os casos em que o empreendedor, às vezes mal orientado ou por falta de informação, investe recursos em projetos inadequados para aquilo que se espera na realidade.

"O empreendedor geralmente fica perdido no momento de tomar uma decisão sobre TI, conta Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Insper. "Por ser um campo técnico, é recomendado que ele busque informações com profissionais, outros empreendedores ou consultoria antes de qualquer coisa", indica.

Com o auxílio do professor, que também escreve no Blog do Empreendedor, e de profissionais do mercado de tecnologia, produzimos uma lista com cinco passos que são recomendados às empresas que contam com a tecnologia em seus planos de crescimento estruturado.

ESCOLHA DO FORNECEDOR

Antes de mais nada, é necessário escolher a empresa, ou empresas, que vão prover equipamentos e serviços. Esta etapa talvez seja a mais importante porque envolve relacionamento além de uma simples escolha pelo preço que se encaixe ao orçamento da empresa.

"Quem não consegue pagar uma consultoria para conduzir o processo, pode recorrer às conversas com empreendedores que já passaram por essa experiência ou buscar fontes de informação nas universidades, por exemplo", sugere Nakagawa, do Insper.

LINK DE INTERNET

Sistemas de gestão, servidores e mais computadores funcionando demandam que a empresa disponha de uma banda larga o suficiente para garantir a performance de sistemas de gestão, terminais e redes de comunicação, por exemplo.

"O link de internet adequado ao equipamento evita sobrecargas e consequentes quedas de sistemas", diz Nakagawa, do Insper.

ESCALABILIDADE

Soluções escaláveis nada mais são do que softwares que permitem ajustes ao longo de sua vida útil dentro da empresa. Ou seja, caso ele venha a se tornar obsoleto, não é necessário comprar uma nova licença e descartá-lo, mas investir em atualizações que adequam o sistema a atual demanda.

"O empreendedor deve sempre buscar módulos escaláveis pois sucitam menores investimentos no longo prazo, quando a empresa naturalmente vai ganhando tamanho. A tecnologia que ele vai adquirir precisa proporcionar esta economia para ele no futuro", disse Felipe Mello, diretor da área de consultoria da Totvs para PME.

COMUNICAÇÃO

Neste segmento, a internet aparece como uma ferramenta que possibilita, sobretudo aos pequenos e médios negócios, economia de recursos. Isso porque plataformas de voz via rede têm se tornado populares no meio corporativo e se mostrado eficazes em melhorar a comunicação entre funcionário, setores, etc. Segundo José Teixeira Pintado Neto, diretor de Operações da Verisoft, destaca aplicativos como Viber e Skype como opções de entrada para empreendedores dispostos a investir em soluções mais acessíveis.

"O custo de telecom dentro das empresas sempre está entre os cinco maiores. O ideal para PME é considerar o uso de ferramentas que funcionam pela internet, como o Skype, Viber e até o WhatsApp, de acordo com as necessidades da empresa. Outro ponto que deve ser levado em consideração é a análise de contratos de telefonia firmados junto às operadoras. É comum as empresas venderem pacotes os quais a empresa não precisa e isso acaba se tornando um custo desnecessário e caro", explica o executivo.

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Aumentar o número de desktops, instalar um servidor ou alguma aplicação online são situação que devem despertar a atenção do empreendedor para questões que envolvam a segurança da informação. Em uma estrutura inicial de TI dentro do negócio, como a descrita acima, utilizar antivírus atualizado e criar políticas de segurança elevam o nível de proteção dentro da empresa.

"A política deve abranger todos os colaboradores, conscientizando sobre os riscos e até mesmo proibindo certas práticas. Manter um pacote de antivírus atualizado, instalar um firewall, criar estruturas redundantes que protejam os dados em servidores alternativos também são medidas que devem fazer parte de um plano de segurança dentro da empresa", detalha André Nunes, sócio-diretor da empresa Soway.

Mais conteúdo sobre:
inovacaoinoveparaempreender

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.