Reuters
Reuters

Cinco dicas de como transformar amigos e familiares em investidores de sua empresa

Advogado especialista em pequenos negócios afirma que é preciso ser profissional

Hanah CHO, Dallas News,

13 de junho de 2014 | 06h36

Fundador de um escritório de advocacia em Dallas, o advogado Kevin Vela – que atende clientes no ramo de empreendedorismo – revelou a Hanah CHO, do Dallas News, cinco recomendações para quem deseja buscar financiamento para sua startup com amigos e familiares. Muitas vezes, essa é a história comum de quem está querendo começar um pequeno empreendimento.

Confira abaixo algumas sugestões que podem auxiliar nesse sentido, principalmente se esse for o seu caso.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

1. Ser profissional

É importante fazer o pitch (apresentação do projeto de negócio) para amigos e familiares da mesma forma que você faria para um grupo de investidores ou um investidor-anjo. O empreendedor deve preparar o material de forma profissional, com as mesmas ferramentas que usaria para se apresentar a uma empresa.

2. Ser franco

Kevin Vela afirma que os investidores têm o direito de saber tudo sobre a empresa em que eles poderão investir. O apresentador precisa abordar informações como concorrência e riscos. Vela acrescenta que apresentar os riscos é uma oportunidade para mostrar quais são as soluções propostas para minimizá-los. Ele aponta que também é importante separar um tempo para os possíveis investidores fazerem perguntas.

3. Pensar na próxima rodada

A maioria das startups passa por duas ou três rodadas de financiamento. Os investimentos iniciais são mais fáceis de captar. Vela diz que o empreendedor precisa pensar, desde o início, nas próximas fases de busca por investidores e saber qual será o papel dos amigos e familiares que contribuíram no começo depois que ele levantar mais dinheiro para o negócio.

4. Acertar tudo no palpel

Vela afirma que pode parecer desnecessário contratar um advogado para uma empresa com investimento de US$ 20 mil. Mas, ele ressalta, é preciso lembrar quer você está recebendo dinheiro de outras pessoas, e que, por isso, é importante considerar um profissional dessa área mesmo que para um pequeno negócio. Segundo Vela, um advogado que se concentra em startups deve ser capaz de ajudar e por um preço razoável, de acordo com o bolso do empreendedor.

5. Divulgar informações periodicamente

Segundo o advogado, depois que conquistar o investimento de amigos e familires é interessante enviar atualizações semanais para quem entrou no negócio. Essa é uma prática que define um bom tom para o investimento e ajuda a preparar o empreendedor para lidar com futuros investidores-anjo ou de venture capital.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.