Helvio Romero/AE
Helvio Romero/AE

Cinco dicas de Chieko Aoki, fundadora da rede Blue Tree Hotels, sobre empreendedorismo

Ela criou uma das principais empresas do País e participou da 2ª edição do Encontro Estadão PME

ESTADÃO PME,

04 de maio de 2012 | 15h00

 Uma das mais importantes empresárias do Brasil, Chieko Aoki, fundadora da rede Blue Tree Hotels, é exemplo do tipo de empreendedorismo considerado o mais eficiente por especialistas. Ela abriu seu negócio por enxergar uma oportunidade no mercado e não por necessidade. “Pela minha experiência, empreender é uma mistura de vocação com capacitação”, diz.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

Chieko não nasceu empreendedora, como costuma dizer, mas vivências anteriores com o segmento nos Estados Unidos, Ásia e Europa levaram a empreendedora a investir na hotelaria brasileira e a criar, em 1997, um negócio que deve faturar R$ 320 milhões neste ano.

“As experiências anteriores me ajudaram a perceber que tinha condições de criar meu próprio negócio porque alcancei resultados que me deixaram entusiasmada”, analisa. Desde então, Chieko investe na capacitação contínua como forma de melhorar o próprio desempenho e o da sua equipe. “Eu tenho muitos credos e um deles é acreditar na melhoria das pessoas. Por que não pensar que a minha faxineira é capaz de planejar, por exemplo?”

Não intimide-se com grandes concorrentes

Essa é também uma forma de a empresária agregar valor ao seu negócio. Quando pensou em criar sua própria rede de hotéis, Chieko não intimidou-se com grandes concorrentes. “Eu decidi que queria ser a melhor rede hoteleira em serviços e não a maior”, afirma. A dama da hotelaria brasileira conseguiu atingir seu objetivo com muita determinação e rigor.

Por isso mesmo, Chieko não aceita desculpas quando o assunto é negócios. Na última festa de fim de ano da sua empresa, por exemplo, ela ganhou um dicionário no qual faltava a página contendo a palavra ‘justificativa’.

A empresária explicou o significado do presente aos participantes do Encontro Estadão PME. “Foi uma brincadeira dos colaboradores porque eu sempre digo que no meu dicionário ela não existe. Meta é meta e tem que ser cumprida.”

Criar valores é importante

A empresária sempre preocupou-se em criar valores para nortear as decisões de sua equipe. Além do ‘Meta é meta’, Chieko Aoki também repete com frequência: ‘Não seja tolerante’ e ‘Faça já’. Perfeccionista – característica evidente pelos trajes sempre impecáveis – a empresária estipula metas agressivas para a Blue Tree e monitora os resultados semanalmente. “Diante de metas difíceis, mas possíveis, como as da nossa rede, o funcionário descobre uma força interna incrível”, justifica.

Planejar é mais importante ainda

O planejamento é igualmente rígido. Chieko acredita que para um negócio dar certo, o empreendedor deve ter visão otimista e planejamento pessimista. Ainda assim, nem sempre tudo dá certo. Recentemente, a empresária precisou descredenciar quatro unidades da sua rede. “Percebemos que persistir no erro seria pior, então, cortamos esses hotéis do nosso portfólio”, afirma. “Muitas vezes tomei decisões erradas, mas eu sempre acreditei que o fracasso é a chance de recomeçar.”

A pressa para crescer, aliás, é considerada por Chieko Aoki um dos seus maiores problemas como gestora. “Isso me fez gastar tempo com coisas que não eram importantes”, explica a empresária. “Durante a expansão é preciso ter calma para saber destrinchar, identificar o que é importante e o que não é”, conclui.

Saiba encontrar oportunidades

A Blue Tree já planeja suas ações para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Além do curso de idiomas, os funcionários da rede estão aprendendo mais sobre a cultura de outros países para atender bem os turistas que devem visitar o Brasil.

“Não podemos perder a característica brasileira, de ser espontâneo e flexível. O turista espera por isso. Mas temos que saber as peculiaridades de cada cultura para melhor receber pessoas tão diferentes”, justifica a empreendedora. Segundo ela, há empresas pedindo até para reservar hotéis inteiros.

Funcionário deve ser preparado

Treinamento, inclusive, sempre foi uma prioridade da empresária, acostumada a receber em sua rede egressos de cursos de graduação em turismo e áreas relacionadas. A ansiedade desses profissionais em assumir posições de liderança chamou a atenção de Chieko. “Todo mundo gosta de ser líder, mas só pode gerir melhoria de processos se souber as dificuldades de arrumar uma cama”, analisa. Isso significa que todo funcionário da rede passa por um período de aprendizado, o que inclui até vivenciar a rotina de trabalho de diferentes funções, como arrumar camas e limpar os quartos.

Tudo o que sabemos sobre:
Encontro PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.