Reprodução do Facebook
Reprodução do Facebook

Chef quadruplica encomendas após lançar bolo de churros

Faturamento estimado só no mês de dezembro é de R$ 8 mil

Vivian Codogno, O Estado de S. Paulo,

09 de janeiro de 2015 | 07h14

Bastou uma receita que contempla "quase 2,5 quilos de pura delícia com muito doce de leite argentino e churros" para mudar a vida do chef Bruno Veloso, de Brasília. Se você já teve suas redes sociais inundadas por imagens de bolos com a receita de bolo de churros, saiba que ele é o responsável por espalhar a guloseima pelo mundo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

No fim de novembro do ano passado, uma amiga encomendou um bolo tradicional a Bruno. O chef, que trabalha com doces e salgados sob demanda, decidiu então desenvolver a receita para subverter aquela que já era comum em confeitarias tradicionais: pão de ló com um toque de canela e doce de leite. Aliado aos ingredientes selecionados - como o doce de leite de origem Argentina -, o chef decidiu contornar sua obra de churros fritos e recheados.

Assim como faz com todos os seus trabalhos, montou o bolo na casa da própria cliente e fotografou. Ao divulgar nas redes, a febre estava lançada. "A foto foi compartilhada por Hugo Gloss [blogueiro de celebridades com mais de 1 milhão de seguidores no Instagram]. Depois de poucos minutos, comecei a receber encomendas", relembra.

Seus seguidores no Instagram saltaram de mil para 15 mil. Os pedidos foram tantos que Bruno precisou encerrar novas demandas no fim de dezembro. "Para manter a qualidade e todos os processos de preparo, não aceito mais encomendas do que o meu tempo permite", explica. A produção é artesanal: o cozinheiro trabalha na casa onde mora com a família, faz pessoalmente as compras, prepara, monta e entrega com próprio carro.

Até então, as encomendas variavam entre 4 e 5 por semana. Agora, recebe em média 30 pedidos. Os bolos de churros feitos por Bruno podem ter três tamanhos - 2,5kg, 3,5kg e 6,5 - e o preço varia entre R$ 180 e R$ 190. Só para o reveillón, o chef preparou 14 bolos, que levam de duas a três horas para ficarem prontos. Por conta do excesso de trabalho, Bruno ainda não teve tempo de calcular o faturamento do mês de dezembro, premiado com sua criação mais famosa. Porém, estima que o valor médio fique por volta de R$ 8 mil.

Desde o início da carreira, em 2008, Bruno pensa em abrir seu próprio negócio, plano que ainda não foi concretizado pela burocracia que o projeto envolve. Após o sucesso, avalia algumas propostas de investidores. Enquanto isso, se sente confortável trabalhando em casa e depois de passar o dia produzindo doces para vender, ainda cozinha para família e amigos. "Ontem mesmo fiz hambúrguer. Adoro fazer pizza. Se quiser me encontrar, passe pela minha cozinha!"

Tudo o que sabemos sobre:
churrosboloestadão pme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.