Divulgação
Divulgação

Cervejaria de Nova York encerra produção de marca por causa da morte de gato que a inspirou

Entenda como uma pequena empresa pode transformar clientes em fãs da empresa

ESTADÃO PME,

05 de junho de 2013 | 07h30

 Era uma vez uma pequena cervejaria instalada no Brooklyn e chamada, não por acaso, de Brooklyn Brewery. Era uma vez uma cerveja batizada de Monster Ale, que recebeu esse nome por conta do gatinho que a fábrica cuidava e que se chamava, também não por acaso, de Monster.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Monster viveu 13 anos - de 1999 a 2012 e faleceu por conta de problemas no rim. Um ano depois, a empresa continuou fabricando a Monster Ale, quando seus donos decidiram encerrar sua produção. A causa? "Depois da passagem de Monster The Cat (esse era o nome completo do bichano), as coisas simplesmente não eram mais as mesmas com a Monster Ale", afirma a marca em seu blog oficial.

Mas nada é tão simples assim. A ação - encerrar a produção da cerveja - é autêntica. Realmente o gatinho que inspirava a produção da cerveja vivia na fábrica, mas a decisão tem tudo a ver com o espírito da marca - em termos técnicos, com a comunicação que a empresa faz de seus produtos. Para quem conhece, isso é feito com bom humor e, principalmente, com o esforço de humanizar a marca - e suas cervejas - para os consumidores.

Isso fica claro quando lemos o blog da companhia ou sua página no Facebook. Mas o empreendedor deve ter em mente que criar uma comunicação para seus produtos ou serviços - uma história para o que se vende - não é fácil. O cliente não é bobo e percebe quando isso é feito de forma forçada.

Não é o caso da Brooklyn. Nos comentários da notícia sobre o fim da cerveja, há mensagens como 'nãooooooo' ou 'É verdade, Monster (a cerveja ou o gato ou os dois) vai viver em nossos corações'. O caminho, dizem os especialistas, é transformar clientes em fãs. Essa empresa norte-americana parece ter conseguido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.