Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Cerca de 1,4 mil pequenas empresas deverão abandonar o Simples no fim do ano

Com isso, empreendedores podem ter de pagar até 40% a mais de impostos

ESTADÃO PME,

21 de outubro de 2013 | 11h14

 Levantamento feito pelo Sebrae-SP, e divulgado nesta segunda-feira (21) mostra que pelo menos 1,4 mil pequenas empresas deixarão o sistema tributário conhecido como Simples no final do ano. Isso deve ocorrer por conta do crescimento natural desses empreendimentos, mas também por conta da inflação no período.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Após superar o teto do Simples e, dessa forma, migrar para outros regimes tributários, as empresas podem pagar até 40% a mais de impostos. Por isso, de acordo com o Sebrae, o receio da carga tributária maior faz com que o pequeno empresário tenha medo de prosperar.

"Ele chega a frear o negócio ou abre outras empresas com CNPJs diferentes ou simplesmente parte da informalidade", afirma Bruno Caetano, diretor-superintendente do Sebrae-SP. De acordo com Caetano, o ideal seria ocorrer a revisão anual das faixas de faturamento que se enquadram no Simples. Vale ressaltar, porém, que a última revisão ocorreu no início de 2012.

Para apontar a inflação como um dos motivos para a saída de empresários do Simples, o Sebrae-SP considerou a inflação de 5,58% medida pelo INPC (IBGE). Atualmente, de acordo com a Receita Federal, o número de empresas optantes pelo Simples no Estado de São Paulo superar 2,2 milhões de pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
imposto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.