Divulgação
Divulgação

Casal empreendedor investe em biscoitos com ingredientes naturais nos Estados Unidos

Proposta é conquistar as crianças e, primeiramente, atrair a atenção dos pais, que podem se interessar pelos diferenciais do alimento que se apresenta como "mais saudável"

Estadão PME,

12 de julho de 2013 | 07h22

Empreendedores da Califórnia inspiram-se em receitas familiares para produzir biscoitos com ingredientes "mais naturais" para a hora do lanche. Segundo o site da rede norte-americana de TV Fox News, o casal Ashley Mendel e Shawn Mendel atuava na indústria do entretenimento e resolveu partir para o segmento alimentício com a proposta de oferecer produtos mais saudáveis, principalmente para as crianças. A empresária Ashley conta que “houve um incêndio em suas barrigas” que os impulsionaram a investir no negócio próprio.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Então, em 2008, eles fundaram a Funley’s Delicious, na cidade de Los Angeles.

Os alimentos da marca contêm ingredientes que a empresa considera mais naturais, como grãos integrais, vitaminas, cálcio e ferro, menos açúcar e conservantes. Segundo o diretor executivo Shawn Mendel, o objetivo da Funley’s  é fazer com que comer lanches seja saudável e divertido, e que produtos que proporcionem essa experiência estejam disponíveis às famílias em todos os lugares.

A aposta do casal tem obtido resultados positivos, a empresa cresce e expande sua atuação no país.

Funley’s Delicious lançou três linhas de biscoitos naturais, que estão presentes em 11 mil pontos de vendas em todo país, e aumenta sua distribuição. No final de junho, começou a comercializar seus produtos em Nova York.

“Chegar a um dos lugares mais movimentados é um movimento natural para nossa marca, vamos oferecer uma forma melhor e conveniente para as pessoas fazerem um lance”, afirma Shawn Mendel.

Ashley Mendel conta que a empresa cresceu 400% entre 2011 e 2012 e que agora em 2013 espera expandir no mesmo ritmo.

Desafio inicial. Ashley afirma que começar foi o mais difícil. “Como qualquer empresário no início de um negócio, nosso desafio foi a falta de recursos”, diz. Ela conta que a empresa iniciou com recursos próprios e o mínimo de auxílio externo, contando com ajuda financeira de amigos e familiares.

Um conselho que a empresária ressalta é “nunca dar ouvidos a pessimistas". “Levamos alguns socos ao longo do caminho, mas isso nos fortaleceu ainda mais.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.