Divulgação
Divulgação

Camiseta inglesa deixa o homem mais forte; mas será que o produto vai ter sucesso?

Empresa produz roupa para usar por baixo com estofamento que imita músculos

Estadão PME,

25 de novembro de 2013 | 06h39

Buscar um corpo mais bonito pode ser o desejo de muita gente hoje em dia. Há quem cumpra uma dieta possivelmente mais saudável e se dedique às atividades físicas e para tonificar os músculos e 'melhorar' o visual. Mas se você está com pressa, fica mais fácil usar uma camiseta que deixa o corpo mais forte. Essa é a proposta de uma empresa inglesa.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A Funkybod – nome da marca e da fabricante – é uma camiseta com revestimento estofados que prometem deixar a aparência do usuário mais bonita, como se ele fosse realmente mais forte ou 'sarado'. O problema é que o visual que a camiseta proporciona é falso, então pode ser aconselhável pensar bem antes de usá-la.

A ideia é que essa camiseta seja usada por baixo de outras roupas. O tecido promete que haja um controle da temperatura corporal, não é quente, e facilitar a transpiração, o que oferece conforto ao consumidor.

O site springwuise.com informa que, segundo a empresa inglesa, o preenchimento usa uma tecnologia que imita a ação de músculos quando a pessoa está tensa ou relaxada.

Tamanhos. Para quem não está tão preocupado com os músculos, mas sim com o tamanho certo da roupa, outros empreendedores pensaram uma solução. Um negócio desenvolvido por norte-americanos que buscou financiamento no site Kickstarter pode tornar-se relevante.

A premissa é a mais simples possível: oferecer camisa de acordo as medidas do consumidor. Isso poderia resolver o desconforto e a frustração de camisas curtas demais, longas demais, apertadas demais, largas demais...a lista é imensa.

:: Leia  mais ::

Empresa inova ao criar camisas com 50 combinações diferentes de tamanho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.