Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech
Gustavo Caetano é CEO da Samba Tech

Caminho para as startups ainda é promissor no Brasil afetado pela crise; entenda

Retração prejudica todas as empresas, mas quem vive de tecnologia conta a seu favor com algumas vantagens competitivas

ESTADÃO PME,

19 de agosto de 2015 | 07h00

Empreender na internet tem se tornado um processo cada vez mais acessível às startups no Brasil e no mundo. Essa foi a principal constatação do CEO da plataforma de distribuição de vídeos online Samba Tech, Gustavo Caetano, e do fundador da Locaweb, Gilberto Mautner. Os empreendedores, que participaram da 14ª edição do Encontro Estadão PME, destacaram, ainda, a economia colaborativa como aliada de quem deseja começar um negócio nos turbulentos dias de hoje.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

 

Polêmica 

Para ambos, o Airbnb, plataforma de intermediação de hospedagem, e o Uber, polêmico aplicativo que conecta motoristas particulares com pessoas que necessitam de locomoção, são exemplos do quão rápido boas iniciativas empreendedoras podem conquistar clientes. 

“Durante 98% do tempo, um carro fica parado, sem uso. Então, por que você tem que ser dono de um carro se é possível solicitar um serviço quando houver necessidade? O ponto é que não precisamos ser mais detentores de tudo”, reflete Gustavo Caetano, que viu sua empresa dobrar de tamanho nos últimos três anos. “Essa nova economia é o futuro porque permite um crescimento exponencial que a economia tradicional não permite. É um modelo de crescimento que consegue escalar sem a necessidade de você ser detentor de tudo.”

 

Investimento 

Gilberto Mautner, que oferece serviços de hospedagem para sites na Locaweb, ressaltou durante o encontro que a tecnologia, atualmente, fomenta o nascimento de negócios que precisam de pouco investimento e que, da mesma maneira, demandam equipe de trabalho reduzida. “Esse fenômeno tem acontecido repetidamente em diversas áreas no mundo digital. Lojas virtuais que teriam que investir dezenas de milhares de reais operam atualmente pagando R$ 60 ao mês por um domínio na internet”, destaca.  

Inovação 

Ainda de acordo com Mautner, o cenário para o interessado em começar um negócio, apesar da retração da economia brasileira, é positivo. “Chegamos em um ponto em que está extremamente fácil empreender. A barreira de custo inicial é baixíssima, principalmente frente à quantidade de recursos.” 

A Locaweb de Mautner faturou, em 2014, R$ 284 milhões, com 465 mil sites hospedados e parte desses resultados, na opinião do empresário, se deve à democratização do acesso à internet no País. “As ferramentas que permitem ao empresário inovar ficaram mais acessíveis a todo mundo. Para criar um empreendimento digital, há opções gratuitas para praticamente todas as ferramentas gratuitas. A Locaweb está sustentada nesse fenômeno. Não conseguiríamos fazer sem esse acesso”, conta o empreendedor. 

 

Equipes 

Além do baixo investimento, a startup que nasce na internet tem a seu favor a possibilidade de funcionar com equipes reduzidas e processos simplificados, o que a coloca em condição de responder com maior agilidade em relação aos concorrentes tradicionais. A discussão sobre os caminhos das empresas de tecnologia diante da crise envolveu também meios para o empreendedor otimizar o potencial produtivo.

“A grande vantagem da empresa menor é a agilidade. Por isso, é importante que a startup crie processos adequados à realidade da empresa”, afirmou o CEO da Samba Tech. Por isso, Gustavo Caetano fez uma observação interessante em relação aos objetivos que o pequeno empresário deve ter. 

E para surpresa geral da plateia, a dica foi não seguir o que grandes corporações fazem. “Muita gente tenta implementar processos semelhantes aos das grandes empresas, que acabam engessando (o negócio). A informação tem que circular. Se você é pequeno, não crie processos que engessem sua empresa”, recomendou o empreendedor mineiro. 

Tudo o que sabemos sobre:
Encontro PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.