Reprodução
Reprodução

Californianos fazem sucesso com dispositivo luminoso para os pneus das bicicletas

A empresa de Palo Alto usa o crowdfunding novamente e consegue adesão de pequenos investidores

Estadão PME,

10 de abril de 2014 | 11h55

Algumas empresas estão apostando há algum tempo em equipamentos que prometem deixar as bicicletas mais seguras. Ou melhor, propiciar mais segurança para o passeio das pessoas durante a noite. Os dispositivos são feitos geralmente por lâmpadas ou LEDs que iluminam alguma parte da bike. Um deles que conseguiu visibilidade é o Revolights, que fica na roda e causa um efeito que facilita os condutores de veículos enxergarem os ciclistas. O produtos está caminhando para a terceira versão.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A primeira versão, lançada em 2011, levantou mais de US$ 215 mil, equivalente a R$ 472,5 mil , por meio de uma campanha realizada em site de financiamento coletivo.

No ano passado, a empresa de Palo Alto, na Califórnia, apresentou uma segunda versão, e agora está usando o crowdfunding novamente para obter recursos para terceira versão.

Dessa vez, o objetivo é alcançar US$ 100 mil, perto de R$ 220 mil. Até agora, cerca de 670 internautas ajudaram a arredar US$ 61,4 mil, mas ainda faltam 12 dias para a ação terminar.

Segundo site da Fast Company, Adam Pettler, que sócio do negócio, disse que a equipe "pensou em um produto para maximizar a visibilidade da bicicleta e adicionou um sistema de iluminação integrada ao freio, semelhante ao que é feito em um carro".

As luzes mudam de estado automaticamente quando o ciclista desacelerar, alertando os motoristas de um possível perigo. Existem dois modos. No primeiro, a luz muda de um 'vermelho sólido' para uma cor tonalidade mais brilhante. No segundo, uma luz piscando começa a piscar mais rápido.

Como parte da nova campanha, o produto custa US$ 69, o que dá R$ 151,73.

:: Conheça mais sobre o funcionamento do produto no vídeo abaixo ::

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.