Reprodução
Reprodução

Café solúvel em cubo é aposta de dois empreendedores de Miami

O produto vem de uma cidade colombiana, onde nasceu a inspiração para o negócio

19 de maio de 2014 | 06h25

Temas que orbitam em torno do café estão na mira de empreendedores em diversas regiões do mundo. Uma delas é Miami, na Flórida, onde Natalia Rodriguez e Allen Gomberg tentam viabilizar um negócio de café em cubos. Basta adicionar água quente que a bebida está pronta. A equipe tenta levantar dinheiro por meio de uma campanha no site de financiamento coletivo Kickstarter.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Os desenvolvedores do Jiva, como é chamado o café, querem levantar US$ 15 mil. Essa é a terceira a ação de crowdfunding da empresa, que ainda tem cerca de um mês para acabar e até agora eles arrecadaram quase metade do que pretendem alcançar.

Em 2012, os empreendedores já tinham feito uma campanha no Kickstarter sobre esse produto, com objetivo de obter mil dólares para visitar a Colômbia, testar o primeiro lote de produto e desenvolver o projeto. Naquela vez, eles arrecadaram mais de US$ 21 mil.

No começo de 2013, a empresa lançou a segunda campanha no site de financiamento coletivo, com a finalidade de dar continuidade ao negócio. Dos US$ 15 mil esperados, eles receberam US$ 82 mil.

A linha oferece seis sabores de café, incluindo chocolate, baunilha e avelã. Cada pacote contém 24 cubos e o valor é de US$ 14,99. Com um cubo, segundo a empresa, é possível fazer um café de 120 ml a 180 ml.

O fornecedor do insumo é de Ocamonte, na Colômbia. Para fazer com que o café possa tomar o formato de cubo é usada uma pequena quantidade de açúcar bruto na 'fórmula' - menos de um grama.

Amante de café deste criança, Natalia Rodriguez, que é formada em Filosofia, visitou a Colômbia pela primeira vez faz poucos anos, a terra natal de sua mãe. E foi lá que ela conheceu o café em cubo e isso a inspirou a transformar o produto em negócio nos Estados Unidos. Ela se juntou a Allen Gomberg, que já tinha experiência com o desenvolvimento de startups.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.