Bovespa tem maior alta, de 5,1%, desde 2009 após Fed

Ibovespa não conseguiu recuperar perdas provocadas pela queda de 8,08% de ontem

Estadão.com.br,

09 de agosto de 2011 | 18h17

A forte subida das bolsas internacionais após a reunião do Federal Reserve (Fed) serviu de pretexto para a alta de mais de 5 por cento do Ibovespa nesta terça-feira, em uma sessão marcada pela volatilidade.

O principal índice das ações brasileiras avançou 5,1 por cento, a 51.150 pontos. O giro do pregão foi de 8,7 bilhões de reais.

Apesar de ter registrado a maior alta desde 29 outubro de 2009, quando o índice subiu 5,91 por cento, o Ibovespa não conseguiu recuperar todas as perdas provocadas pela queda de 8,08 por cento de segunda-feira. No mês, o índice ainda tem baixa de 13 por cento.

Após um intenso vaivém nas cotações ao longo do dia, a alta foi construída nos últimos minutos de pregão, acompanhando a subida das ações em Nova York. O índice Standard & Poor's 500 subiu 4,74 por cento, e o índice Dow Jones teve alta de 3,98 por cento.

O mercado reagiu ao comunicado do Fed, banco central norte-americano, sobre política monetária. Embora a entidade tenha prometido explicitamente uma terceira rodada de compra de ativos, ele foi mais claro sobre a duração do período de juros excepcionalmente baixos: ao menos até meados de 2013.

Analistas já apontavam nos últimos dias para a iminência de uma forte altas das ações, que operavam em níveis muito baixos considerando os fundamentos das empresas com os lucros recentes. Ainda assim, o economista da Capital Economics Neil Shearing recomenda cautela.

"A recente turbulência dos mercados é um lembrete oportuno de que os riscos agora apontam para uma queda do crescimento", escreveu em relatório.

As ações de maior liquidez do Ibovespa aproveitaram a recuperação. O papel preferencial da Vale subiu 5,09 por cento, a 38,40 reais, e a ação equivalente da Petrobras teve alta de 2,68 por cento, a 19,15 reais.

A maior alta foi da companhia aérea Gol, com valorização de 17,76 por cento, a 10,74 reais. Apesar da alta, a empresa tem baixa de 45,68 por cento no último mês.

As ações do Banco do Brasil avançaram 7,11 por cento, a 24,24 reais. O banco divulgou lucro líquido de 3,357 bilhões de reais no segundo trimestre.

No setor de telecomunicações, a TIM Participações subiu pela primeira vez após a divulgação de fortes resultados semana passada, principalmente por ajustes de mercado, segundo um analista. A ação fechou com alta de 8,68 por cento, a 8,26 reais nesta terça-feira.

Apesar do lucro bem acima do esperado no segundo trimestre, o papel da empresa chegou a desvalorizar cerca de 18 por cento entre os dias 2 e 8 de agosto, devido à deterioração do mercado. 

Tudo o que sabemos sobre:
CâmbioBolsaBovespaMercados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.