Divulgação
Divulgação

Bolo sem frescuras vira negócio de sucesso em São Paulo e vende até 5 mil produtos por mês

Loja especializada segue receitas simples das avós

Roberta Cardoso, Estadão PME,

20 de março de 2013 | 06h20

 O uso de ingredientes simples, que estão à mão, na despensa de casa, norteia renomados chefs na composição de seus pratos muito antes da gastronomia alcançar a popularidade que tem hoje. A máxima "menos é mais" serve também para a confeitaria. Em São Paulo, a empresária Renata Frioli comprova que para fazer um bom bolo não são necessários quilos de recheios esquizofrênicos ou confeitos importados. Na Bolo à Toa, sua loja em Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo, os clientes encontram bolos de receitas simples, como os feitos por vovós.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Quando decidi abrir a Bolo à Toa nem pensei na moda de lojas especializadas em um produto só. Eu me baseei nas minhas experiências. Queria comer um bolo simples e não era tão fácil de encontrar", explica a dona do negócio.

Fundada em 2011, a loja chega a comercializar até 5 mil unidades de bolos por mês e prepara-se para a abertura de duas novas unidades. A primeira delas será inaugurada ainda em 2013, no bairro Itaim. "Demorei até começar a expansão porque é um passo que exige cuidado", explica a proprietária. De acordo com Renata, o produto com que trabalha segue um alto padrão de qualidade e, para mantê-la diante do crescimento do negócio, é necessário pensar muito bem na expansão. "As pessoas perguntam quando eu vou começar a fazer entregas. Por enquanto, não dá! Só teremos um serviço de delivery quando eu encontrar uma forma de manter o padrão de qualidade que ofereço na loja. Funciona assim também com o número de lojas", explica. 

O sucesso da Bolo à Toa não passa despercebido por investidores. No entanto, massificar a ideia não faz parte dos planos de Renata. "Recebo muitas propostas para transformar a marca em franquia. Mas recuso todas porque o foco são as lojas próprias. Seria muito difícil manter a mesma qualidade", conta.

Com foco no cliente final, a empresária ainda estabelece alguns limites para o negócio não se descaracterizar. Na loja, são vendidas unidades inteiras, que custam entre R$ 18 a R$ 22. "Também lançamos alguns sabores ao longo do ano, como na Páscoa. Mas são edições limitadas, que custam entre R$ 22 e R$ 25", explica.

As receitas de Renata são tradicionais: ovos, farinha, leite, açúcar e fermento. Dessa base, 16 sabores são comercializados no local. O carro-chefe é o bolo de limão e iogurte. Mas o de fubá também atrai os clientes. "Nossos bolos são artesanais. O fubá é feito em um moinho de pedra com milho da fazenda mesmo", orgulha-se. "Sou neta de mineiros e morei no interior de São Paulo, então, o bolo sempre esteve na minha vida e mexe com a memória afetiva. Quando abri a loja, vi que eu não era só eu que sentia saudade de comer um bolo de avó", justifica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.