Fabio Motta / Estadão
Fabio Motta / Estadão

BNDES lança Fundo de Co-investimento Anjo para startups brasileiras

Com capital estimado em R$ 100 milhões, Fundo busca estimular o empreendedorismo e a inovação, além de disseminar a prática de investimento-anjo no País

Letícia Ginak, Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2017 | 19h49

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio de seu braço de participações societárias, BNDESPAR, lança nesta terça-feira, 14, o Fundo de Co-investimento Anjo, uma iniciativa que tem como objetivo apoiar startups nacionais inovadoras com faturamento anual de até R$ 1 milhão. A prioridade é para empresas que atuam nos setores de Agronegócio, Biotecnologia, Cidades Inteligentes, Economia Criativa, Nanotecnologia, Novos Materiais, Saúde e Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). O Fundo atuará em conjunto a investidores-anjo e aceleradoras, aquecendo o mercado nacional no segmento. O Edital de Chamada Pública está disponível no site do BNDES.

O Fundo apoiará empresas com receita operacional líquida anual de, no máximo, R$ 1 milhão referente ao ano anterior à aprovação do investimento. O Fundo poderá investir até R$ 500 mil nas empresas selecionadas, desde que haja investimento conjunto, na mesma proporção, de um investidor-anjo e/ou aceleradora.

O Fundo de Co-investimento Anjo terá duração de 10 anos, com os cinco primeiros referentes apenas ao período de investimentos. O patrimônio comprometido estimado é de R$ 100 milhões. O Fundo poderá ser constituído ao alcançar, no mínimo, R$ 60 milhões, com participação da BNDESPAR de R$ 40 milhões neste primeiro fechamento. Os demais recursos deverão ser captados junto a outros investidores.

Além disso, o Fundo é multiestágio, o que permite que ocorram outras rodadas de capitalizações em empresas nascentes do portfólio com melhor desempenho, que atingirem o patamar de “pequena empresa inovadora” - empresas com faturamento anual entre R$ 1 milhão e R$ 16 milhões apurada no ano anterior à aprovação do investimento. Os investimentos adicionais, por empresa, poderão atingir o limite máximo de R$ 5 milhões, incluindo eventuais valores anteriormente aportados.

Os candidatos a gestor do Fundo de Co-investimento Anjo têm até o dia 12 de janeiro de 2018 para enviar suas propostas, que serão avaliadas pela BNDESPAR de acordo com critérios relacionados no Edital, tais como histórico do gestor, governança, qualidade da proposta e estrutura de custos, entre outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.