Bancos investem em mobile

Bancos investem em mobile

Aplicativos já são principal meio usado para transações

O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2017 | 06h00

O atendimento presencial ao público no setor bancário ainda se converte em confiança para o cliente, no entanto, as instituições financeiras têm empregado esforços incansáveis para digitalizar ao máximo o atendimento. Ainda não é possível mensurar o impacto dessa estratégia para clientes empresariais, mas pesquisa da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) divulgada em maio deste ano aponta que os aplicativos de bancos para celular e tablets já são os canais mais usados pelos brasileiros para realizar operações bancárias desde 2016, superando pela primeira vez o uso por meio de computadores.

Conforme aponta o levantamento, o número de operações via mobile banking, incluindo transferências, pagamentos e consultas de saldo, cresceu 96% na comparação com o ano anterior e representa um terço do total de todas as transações feitas no País. Atentos a esse quadro, bancos empenham mais tempo para desenvolver tecnologias que seduzam correntistas.

Primeiros da lista apostam no online

A consulta constante a usuários é a principal estratégia do Itaú para manter a adesão ao acesso eletrônico a serviços. “O acesso à internet para serviços bancários, atualmente, está no mobile”, afirma a diretora do Itaú Lívia Chanes. “Por isso, realizamos pesquisas de campo constantemente, em um trabalho muito forte em relação ao mobile. De fato, é um canal extremamente relevante para o cliente. Tudo o que a gente põe no ar foi o cliente quem pediu. Consideramos, em primeiro lugar, a necessidade do cliente”, comenta. 

Sob a perspectiva dos empresários consultados na Escolha PME, Itaú e Bradesco são os bancos que oferecem maior grau de satisfação aos clientes na categoria internet banking. Ambos alcançaram índice de 77 pontos. “Quando você, enquanto empresa, começa a ter complexidade na forma de realizar pagamentos, com certeza vai aderir ao internet banking”, argumenta Marcelo Frontini, diretor de canais digitais do Bradesco. 

“Atualmente, mais de 90% das transações do Bradesco como um todo são efetuadas via canal digital, incluindo caixas eletrônicos, telefone e internet. Mesmo assim, ainda tem muito espaço para crescer.”

Canal digital também cresce no BB

O investimento em tecnologias para o acesso por meio de aplicativos de celular também está no radar do Banco do Brasil. A atenção a esse segmento se reflete no índice de satisfação em 75, pontuação muito próxima a do Itaú e Bradesco. 

Conforme aponta o diretor de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, Edmar Casalatina, o cliente empresarial já incorporou esse tipo de serviço à rotina do negócio. Comparando junho de 2017 com o mesmo mês do ano passado, o banco observou aumento de 30% no número de transações efetuadas por dispositivos móveis e aumento 50% no número de clientes MPE que usa apenas esse canal para realizar transações bancárias.

“Nos últimos 12 meses, foram efetuados mais de meio milhão de downloads do aplicativo Gerenciador Financeiro por empresas de todos os portes, que são clientes do Banco do Brasil. Cerca de 75% das transações efetuadas pelas pequenas e médias empresas são feitas nos canais digitais do banco, tanto por mobile, como pela web”, diz Casalatina. “São mais de 18 milhões de transações financeiras realizadas pelas MPEs nesses canais digitais.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.