As dicas de grandes empreendedores para você: economia não deve frear o empreendedor

Quatro grandes empresários comentam o momento para empreender no Brasil

Estadão PME,

13 de agosto de 2014 | 06h55

O Estadão PME consultou quatro grandes empresários brasileiros para descobrir como eles avaliam o momento da economia brasileira e se a estagnação vai frear os planos do empreendedor. Para o grupo, a situação deve ser levada em consideração, mas não pode congelar o planejamento de ninguém. Confira a seguir os principais trechos das entrevistas.

Ciclos

Para o fundador da rede Multicoisas, Lindolfo Martin, todos os cenários econômicos são passageiros e terão momentos de “ventos a favor, contra ou calmarias”. “Atualmente, vivemos uma fase de expectativas que sinalizam todas essas possibilidades, como em qualquer fase da vida de quem empreende ou ‘navega’. Entendo que não seria o cenário econômico a determinante de abrir ou não uma empresa, mas sim os estudos de riscos e oportunidades frente ao tipo de negócio pretendido, e a disposição de correr esses riscos, mesmo que tenham sido bem calculados”, diz Martin.

Longo prazo

A opinião do criador da rede Patroni Pizza, Rubens Augusto Junior, é parecida. O empresário não costuma decidir sobre o futuro em função de um fator pontual, como o cenário econômico adverso do momento. Segundo Rubens, para começar um negócio, é preciso uma visão de médio e longo prazo e ter em mente que o Brasil é um País que ainda tem muito a crescer.

“Abri a Patroni Pizza em um dos piores momentos econômicos do Brasil e do mundo, em 1984, onde vivíamos uma enorme crise do petróleo mundial e, por consequência, desemprego e recessão econômica no Brasil. Nesse contexto, e apesar do cenário atual, a Patroni Pizza está abrindo aproximadamente 30 lojas somente neste ano.”

O empresário Robinson Shiba, da rede China in Box, conta que também abriu a empresa em um momento econômico desfavorável. “O ano de fundação foi 1992. Naquela época, o governo tinha confiscado o dinheiro de todo mundo e foi justamente nesse ano que encontrei minha oportunidade.”

Na opinião do fundador da Polishop, João Appolinário, o Brasil é um País de grandes chances independentemente do cenário econômico. “Mesmo em momentos mais difíceis os negócios acontecem, e só depende de fazer o negócio certo da melhor forma”, afirma.   

Recomendações

Para quem pretende abrir um negócio, Appolinário alerta: ser empreendedor não depende somente do ‘querer’. “Tem de estar em você, pois nem todos nasceram para ser e nem para assumir riscos e conviver com eles. E sempre deve ser feito um balanço do que está acontecendo e se você está feliz ou não sendo um empreendedor.”

Já Robinson Shiba aconselha o interessado a fazer muita pesquisa. “Visite os concorrentes, tente identificar alguma oportunidade dentro do setor. Quando fui montar o negócio de comida chinesa eu não tinha experiência nenhuma. Mesmo assim, fui fazer minhas pesquisas informais, nada de contratar instituto, nada disso. Fui tentar identificar um jeito diferente de fazer negócio”, conta Shiba, que é formado em odontologia.

Futuro

Para o fundador da Patroni Pizza, o empreendedor não deve basear-se no atual cenário econômico, mas ter uma visão do futuro do negócio. Ele ainda deve, na opinião de Rubens, estudar com muita profundidade o ponto de instalação e os principais concorrentes.

Outra recomendação é estimar com conservadorismo o potencial de faturamento e colocá-lo em uma planilha com todos os custos da operação – a ideia é estabelecer se, pelo menos, o ponto de equilíbrio da proposta poderá ser atingido.

Ainda segundo Rubens, o negócio deve ser implantado, preferencialmente, com recursos próprios. Mas se for necessário recorrer aos empréstimos, é indicado tomar um montante que a operação possa pagar mensalmente e que, mesmo assim, ainda sobre recursos no caixa.

 

Lindolfo Martin, fundador da Multicoisas

Dica: Procurar entender se a proposta de “captura de valor” (o que farei de melhor e diferente) daquilo que se pretende empreender tem algum sentido. Confira a ideia com amigos, faça pesquisa e seja cauteloso. Se não der para fazer o ideal, faça o possível, principalmente em tempos de capital escasso e muito caro.

 

João Appolinário, fundador da Polishop

Dica: Faça a diferença e se preocupe com os detalhes sempre. Ser empreendedor não depende de querer somente, tem de estar na pessoa – nem todos nasceram para ser e para assumir riscos e conviver com eles. Na opinião dele, o empresário deve fazer um balanço do que está acontecendo e se ele está feliz ou não sendo um empreendedor.

Robinson Shiba, dono das redes China in Box e Gendai

Dica: Ele sempre recomenda que a pessoa pesquise muito. Para o empresário, é preciso visitar os concorrentes e identificar oportunidades dentro do setor. “Quando fui montar o negócio eu não tinha nenhuma experiência e mesmo assim fui fazer minhas pesquisas informais. Fui tentar identificar um jeito diferente de fazer negócio.” 

 

Rubens Augusto Junior, fundador da Patroni Pizza

Dica: Para ele, a pessoa não deve se basear no cenário econômico, mas ter uma visão de futuro do negócio. Estudar o ponto de instalação é importante, bem como seus principais concorrentes. É preciso dimensionar as vendas, os produtos oferecidos e preços praticados, além de ser conservador ao estimar o faturamento.

:: Leia também ::

O que fazer para seu negócio dar certo

Procurar um diferencial é fundamental

Empresário precisa fazer mais com menos

Empresa enxuta mira as vendas no exterior

Dicas de livros

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.