As dicas de grandes empreendedores para você contratar bons profissionais para o seu negócio

No comando de negócios consolidados e em expansão, três empresários de sucesso podem dar conselhos para o dono da pequena empresa quando o assunto é mão de obra. Para Ricardo Sayon, a empresa precisa se preocupar primeiro em satisfazer o cliente interno.

Estadão PME,

19 de novembro de 2014 | 07h10

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

“Faça o funcionário se sentir dono. Aí você ganha competitividade”, afirmou Sayon, que vendeu a Ri Happy em 2012 e hoje tem participação em shoppings, investe em imóveis e atua no ramo de estacionamento. Sayon se orgulha em dizer que chegou a ter uma taxa de turn over de 5,9% ao ano. Quando estava na operação, ele determinava que os diretores fizessem pacotes e limpassem as lojas. “Isso é cultura. Se o dono está aí fazendo pacote, passando um vassoura, o funcionário vai querer fazer melhor. A parte cultural é importante, mas também não pode deixar de olhar a remuneração.”

:: Leia também ::

A batalha pela mão de obra

Preencha a vaga nas redes sociais

Estagiário ou profissional experiente?

Sociedade é a saída para startup atrair os talentosos

No Grupo Fisk, a dificuldade de contratar professores sempre existiu. Por isso, o CEO Bruno Caravati conta que quando o aluno está quase terminando o curso é convidado para iniciar um treinamento para ser professor de inglês. “Damos muito valor para o jovem, para quem está iniciando.”

Independentemente do porte da empresa, Guilherme Weege, da Malwee, afirma que alguns pontos são fundamentais em qualquer relação entre empresas e pessoas. O empresário cita o cuidado e a valorização do ser humano, o respeito, além de proporcionar oportunidades, manter uma gestão participativa e incentivar a qualificação. “São princípios que não apenas norteiam essa relação, mas também impactam diretamente na contratação e retenção.”

Bruno Caravati, Grupo Fisk

Quem é: CEO do grupo de escolas de idiomas

Dica

Dê condições para o colaborador trabalhar. “Um funcionário que trabalha com vontade e alegria dentro da empresa é um funcionário que faz você crescer”

Ricardo Sayon, empreendedor

Quem é: Fundou a Ri Happy e hoje se dedica a outros negócios

Dica

“O funcionário tem que se sentir dono igual a você. Ele tem que ter participação, não só em dinheiro, mas dividir o sucesso”

Guilherme Weege, Grupo Malwee

Quem é: Presidente da empresa criada pelo avô

Dica

“Não basta apenas contratar. Nossa maior meta é a retenção. Precisamos manter nossos parceiros motivados e gerando oportunidades”, diz

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.