Edgard Pacheco/Divulgação
Edgard Pacheco/Divulgação

Área de saúde cresce com clínicas e beleza vive segmentação

Serviços de saúde e beleza encontram-se no fim da lista do corte de gastos do consumidor

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2017 | 06h00

Seja por vaidade ou necessidade do cliente, serviços de saúde e beleza encontram-se no fim da lista do corte de gastos do consumidor. Isso faz com que o setor como um todo cresça em ritmo acelerado, mas há particularidades.

Na área de saúde, clínicas populares ganham impulso oferecendo, em um mesmo local, diversos serviços de menor complexidade para suprir gargalos do Sistema Único de Saúde (SUS). Na Partmed, consultas, exames, internações e cirurgias podem ser parcelados em até 48 vezes. A rede iniciou sua franquia em 2016 e já vendeu 25 unidades. 

O campo da beleza, por outro lado, passa por intensa segmentação. Grandes clínicas perdem força, e ganham destaque os serviços ultra especializados. “Como esse é um mercado em que os lançamentos e novidades técnicas são constantes, a especialização facilita a evolução do negócio”, afirma Luis Henrique Stockler, presidente da ba}Stockler.

Luzia Costa criou, em 2013, a Sóbrancelhas, rede de design de sobrancelhas com 200 unidades no Brasil. Passou a receber pedidos de clientes interessadas em fazer também as unhas, “mas o medo era colocar tudo junto e não fazer nada direito”, conta. Assim, criou a cuticularia Beryllos, que hoje tem três unidades.

Tudo o que sabemos sobre:
Sistema Único de SaúdeSUS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.