Aposta na economia do aluguel

Aposta na economia do aluguel

Com a crise, pode ser um risco gastar com compra de veículo

O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2017 | 06h00

Alugar um veículo em determinados períodos pode ser mais vantajoso. “A crise ajuda o empresário a fazer conta. E, quando se faz conta, se percebe que está muito mais barato alugar do que comprar um carro”, avalia Renato Franklin, presidente da Movida, locadora mais bem avaliada nesta categoria, com 83 pontos.

A empresa dele, porém, é uma das poucas que conseguiram aproveitar a crise para crescer. Segundo pesquisa da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), o faturamento do setor no ano passado foi 25,3% menor do que em 2015. Para reverter esse cenário, uma das apostas é exatamente nas PMEs. Afinal, com tantas mudanças na economia, pode ser um risco empatar capital na compra de um veículo. Pensando no micro e no médio empresário, as empresas do setor têm apostado em mecanismos de gerenciamento de frotas e nos aluguéis por demanda – por exemplo, uma fábrica de chocolate pode precisar de mais carros na época da Páscoa.

Serviços compensam custo maior

Em novembro de 2013, a A JSL anunciou que havia comprado a Movida por R$ 62,4 milhões. Nascia ali uma gigante do setor, campeã da categoria Locadora de Automóveis. Com 250 lojas, a empresa faturou R$ 1,9 bilhão só no ano passado. E esse crescimento veio acompanhado de qualidade. “Isso reforça nosso posicionamento de atendimento ao cliente. Já havíamos sido a mais bem avaliada pelas agências de viagem. Crescemos muito com um público jovem e no mercado online, sempre pensando em sermos líderes em atendimento”, afirma o presidente da Movida, Renato Franklin.

Em um setor em que o preço é um critério de escolha destacado como importante por 29% dos entrevistados, a Movida cresce sem ser a mais barata. Segundo seu presidente, a empresa prioriza ter o melhor custo-benefício. “Todos os nossos carros têm ar-condicionado. Oferecemos serviço VIP nos aeroportos, por um valor baixo. Isso agrega valor.”

O padrão de qualidade de atendimento é garantido por um executivo que centraliza todas as demandas da empresa. A Movida não trabalha com franquia. “Tenho padrão de frota e de atendimento em todas as lojas”, diz Franklin.

Mais lojas em cidades médias

Com 351 lojas próprias e 158 franquias, a Localiza tem a maior fatia do mercado de locação e ficou em segundo lugar no ranking de satisfação (75 pontos), mas foi apontada por 58% como a primeira da lista de objeto de desejo.

“Estamos investindo no processo, a partir das demandas dos nossos clientes. Colocamos van, wifi, desenvolvemos nosso GPS. São mais serviços para o usuário para que a experiência de usar a locadora seja a melhor possível”, afirma Paulo Henrique Pires, diretor de vendas da Localiza.

Hoje, cerca de 80% da frota é alugada por empresas, e a aposta da Localiza para PMEs é a locação mensal. “É uma frota temporária, que o empresário aluga pelo período que precisar. Se algo der errado no negócio dele, devolve o carro.” 

Por ter mais lojas e trabalhar com franquias, a Localiza chega a mais cidades de médio porte do que as concorrentes, atingindo o público PME. “Temos equipe de vendas em todo o País, que visita e dá assessoria aos clientes. Investimos na expansão de rede e na diversidade da frota. Ou seja: temos produto, rede e atendimento de qualidade”, diz Pires, justificando o primeiro lugar como objeto de desejo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.