Aplicativo traduz caracteres chineses
Aplicativo traduz caracteres chineses

Aplicativo traduz caracteres do alfabeto chinês

Dicionário funciona em breves descrições ou figuras semelhantes

Estadão PME,

11 de junho de 2015 | 07h02

Com cerca de 1,36 bilhão de habitantes, a China é responsável por abrigar quase um quinto da população do planeta. São bilhões de pessoas falando diariamente uma língua -- e dialetos originários dela -- pouco compreensível para grande parte do mundo. E a expansão das fronteiras comerciais do país fez com que os produtos fabricados por lá, bem como os próprios chineses, se espalhassem pelo mundo.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Em busca de solucionar parte dos entraves linguísticos encontrados por outras nações nos caracteres do alfabeto chinês, cada vez mais presente pelo mundo e difcíl de decifrar, um grupo de pesquisadores desenvolveu um aplicativo que promete facilitar a apreensão e memorização das letras.

O 'tradutor', chamado de Outlier Dictionary, vem em duas versões: a Essentials Edition, direcionada para iniciantes e leigos na língua, e a Expert Edition, indicada para aqueles que já possuem um conhecimento básico e desejam se arriscar em empreitadas mais ousadas, como literatura e música.

Os caracteres são 'desvendados' por meio de breves explicações sobre os símbolos. A cereja do bolo do aplicativo vem com a tradução caracteres com figuras semelhantes, facilitando assim a memorização.

Além das duas versões do aplicativo, o pacote conta com um pôster em pdf com o dicionario simplificado. Assim, o aluno desenvolve, a partir da visualização constante, uma proximidade maior com o alfabeto. Para adquirir o Outlier Dictionary, porém, é preciso esperar até maio do ano que vem, quando o produto estará disponível. Por enquanto, é possível apoiar o aplicativo financeiramente por meio de uma campanha de financiamento coletivo no portal Kickstarter.

Tudo o que sabemos sobre:
Aplicativodicionário chinêstradutor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.