Divulgação
Divulgação

Antonio Carbonari Netto vai participar do primeiro Encontro PME

Empresário uniu seus dois talentos – dar aulas e administrar negócios – para vencer como empreendedor

Renato Jakitas, Estadão PME,

04 de novembro de 2011 | 12h50

 No Brasil, os professores costumam culpar a sorte quando perguntados sobre a profissão. Não é o caso de Antonio Carlos Carbonari Netto (foto). Matemático, ele decidiu trocar o jaleco pelo terno ao fundar a Faculdade Anhanguera, em 1996. Atualmente, a empresa é o maior grupo educacional da América Latina – são mais de 400 mil alunos estudando em 73 campi diferentes.

“Sempre gostei de dar aulas e também de gestão”, afirma o empresário, que começou a carreira como professor de cursinho e organizou o processo de estruturação da Universidade São Francisco.

Ao explicar o sucesso meteórico da Anhanguera, Carbonari recorre ao posicionamento estratégico adotado pelo negócio. “Quando começamos, as faculdades eram muito tradicionais. Adotavam um currículo carregado e a visão europeia de formar para a vida. Nós decidimos formar para o mercado de trabalho.”

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Outra ação que contribuiu para o crescimento da instituição foi reduzir o valor da mensalidade e buscar alunos das classes C e D, até então repelidos pelas universidades tradicionais. Agora, o desafio da Anhanguera Educacional é estruturar seu modelo de ensino para comercializá-lo com instituições menores espalhadas pelo País.

Tudo o que sabemos sobre:
NegóciosGestãoEmpreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.