Quase 900 apoiadores depositaram US$ 116 mil para o time de sócios a 34 dias do fim do financiamento
Quase 900 apoiadores depositaram US$ 116 mil para o time de sócios a 34 dias do fim do financiamento

Anti-fone de ouvido promete te deixar totalmente surdo

Aparelho garante blindar os ouvidos de todo e qualquer barulho que não seja o de seus próprios pensamentos

Estadão PME,

20 de janeiro de 2016 | 06h45

De repente, bem em frente à janela de minha casa, uma construtura começou a levantar um prédio comercial. Foram semanas de bate-estacas, sucedidas por semanas de gritaria, superadas por semanas de ajuste fino, sempre barulhento o bastante para me retirar por meses do sono profundo e justo de quem entrega as noites de trabalho suado em troca de manhãs confortáveis de sono reconfortante.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Esse é um problema que, ao menos em teoria, os criadores por trás do gadget QuietOn prometem resolver. Eles inventaram um fone de ouvido às avessas - um anti-fone de ouvido que ao invés de jogar sons para dentro de sua cabeça, promete blindar os ouvidos de todo e qualquer barulho que não seja o de seus próprios pensamentos.

Bom para monges em oração, para operadores de britadeiras e para trabalhadores em busca de descanso merecido em cidades poluídas por sons diversos como São Paulo, Rio de Janeiro e afins. 

Sem fios, o aparelho é provido de um sistema eletrônico que reduz o barulho externo da mesma forma que os fones tradicionais ligados em alto volume, é o que pelo menos diz o fabricante, em sua página de divulgação no site de financiamento coletivo Idiegogo.

O anti-fone é dotado de uma bateria com 50 horas de duração e é ativado no momento em que o gadget é retirado do estojo de proteção.

Os internautas parece que gostaram da ideia. No instante em que este artigo era produzido restavam 34 dias para o término da campanha de crowndfundig e a meta para o início da produção em massa do gadget já havia sido superada em 133%. Quase 900 apoiadores tinham depositado US$ 116 mil para o time de sócios, a maior parte deles ex-funcionários da divisão de celulares da finlandesa Nokia, vendida para a Microsoft. 

Tudo o que sabemos sobre:
Empreendedorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.