Helvio Romero/AE
Helvio Romero/AE

Analistas enxergam boas perspectivas para a economia em 2012

Crise na Europa e Estados Unidos não deve atrapalhar o Brasil desde que o consumo interno continue aquecido

Renato Jakitas, do Estadão PME,

05 de novembro de 2011 | 18h02

O temor de que a crise do hemisfério norte cruze a linha do equador e balance o Brasil não tira o sono dos analistas convidados a participar do debate ‘A economia para as pequenas empresas em 2012’. Eles consideram que ainda é cedo para cravar estimativas mais seguras. Mesmo assim, concordam que há uma série de aspectos favoráveis aos empreendedores.

E o bom desempenho do mercado interno continua sendo a principal alavanca para todo esse otimismo. Afinal, com dinheiro na mão, o brasileiro tem demonstrado contínua vontade de consumir. E isso tem ajudado os empresários do comércio, serviço e até mesmo da indústria.

 

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Além disso, a aproximação de grandes eventos organizados pelo País, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, garantem mais investimentos por parte do governo em infraestrutura. Acompanhe a seguir a opinião dos especialistas sobre o cenário econômico.

Caio Megale, analista econômico do Itaú

As pequenas e médias empresas devem passar com sobras pelos próximos meses. Segundo Megale, o nível de endividamento do empreendedor está menor agora do que três anos atrás, quando eclodiu a última crise econômica. E isso facilita a vida do empresário em momentos de dificuldade.

José Luiz Rossi Júnior, professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper)

A tônica dos próximos meses, analisa o professor do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), deve ser de cautela em relação aos investimentos. Mas nada tão sério a ponto de preocupar o pequeno empresário, afinal, o Brasil deve crescer cerca de 4% este ano. Esse ritmo, inclusive, é considerado consistente pelo governo, que ainda preocupa-se em manter sob controle fantasmas do passado, como a inflação.

Bruno Caetano, superintendente do Sebrae-SP

Se os investimentos para a Copa do Mundo e Jogos Olímpicos não fizeram até o momento muita diferença no cotidiano das empresas, a situação deve mudar rapidamente. O superintendente do Sebrae-SP espera uma injeção de R$ 142 bilhões nos micro, pequenos e médios negócios por conta desses eventos. Isso, segundo Caetano, deve melhorar as previsões que indicam redução do nível de crescimento.

 

:::LEIA TAMBÉM:::

::Encontro PME vai ajudar empresário a alcançar o sucesso::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.