Abhishek N. Chinnappa/Reuters
Abhishek N. Chinnappa/Reuters

Amazon oferece logística ampliada, vendas internacionais e recompensas para PMEs

Recursos lançados pelo marketplace da Amazon buscam apoiar empreendedores parceiros e atrair novos, movimento adotado por outras gigantes como Magalu e Mercado Livre

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2021 | 14h33

As pequenas e médias empresas estão na mira dos grandes marketplaces, que buscam atraí-las por meio de recursos que facilitam a vida do empreendedor e ajudam a impulsionar o negócio. Nesta semana, a Amazon Brasil lançou quatro novidades aos vendedores parceiros, que incluem logística ampliada, facilidades para vender nos Estados Unidos e programa de recompensas.

As vantagens concorrem com o que é oferecido por outros gigantes do setor como Magalu, AliExpress e Mercado Livre, que também vêm adotando medidas de atração com foco nas PMEs.

De acordo com a Amazon, as vendas dos pequenos e médios negócios cresceram nos últimos 20 anos dentro da plataforma e já representam mais da metade de tudo o que é vendido no mundo. No ano passado, a companhia fundada por Jeff Bezos investiu US$ 18 bilhões globalmente em recursos de logística, serviços e programas a fim de apoiar esse nicho de empreendimento.

No Brasil, a empresa anunciou novidades que ampliam as oportunidades de negócio. Uma delas é o Delivery by Amazon (DBA), um serviço de logística pelo qual o vendedor parceiro solicita a retirada do produto no endereço indicado e a entrega ao destinatário. Assim, ele não precisa se deslocar para fazer a postagem e fica responsável apenas pelo manuseio, empacotamento e impressão da etiqueta de envio fornecida pela companhia.

A empresa garante tarifas a baixo custo, entregas mais rápidas e rastreáveis pelo cliente. O vendedor também pode ser elegível para frete gratuito em todo o País. Por enquanto, o recurso está disponível apenas para vendedores convidados e será gradualmente ampliado aos demais do Estado de São Paulo em novembro.

O segundo anúncio é a expansão do FBA - Logística da Amazon, pelo qual a própria Amazon pode fazer o armazenamento, empacotamento, envio e atendimento ao cliente do vendedor parceiro. O programa foi lançado em dezembro de 2020 apenas para convidados, mas a partir de agora se estende a todos que atenderem critérios de elegibilidade. A adesão é feita de forma automatizada neste site, onde o vendedor pode agendar a coleta dos pacotes ou enviar o estoque.

A Amazon informa que, com esse programa, os produtos são automaticamente elegíveis para frete rápido e gratuito no caso de membros Prime, sem valor mínimo de compra. Os demais clientes podem aproveitar o frete grátis para compras acima de R$ 99 em livros e acima de R$ 149 nos produtos que são mantidos no centro de distribuição da empresa. Por enquanto, o FBA está disponível para parceiros do Estado de São Paulo que operam sob o regime tributário do Simples Nacional.

Expandir o negócio para os Estados Unidos é outra vantagem a ser oferecida por meio do programa de Vendas Internacionais. Com ele, os vendedores elegíveis terão apoio em ferramentas de venda e divulgação dos produtos, bem como infraestrutura logística da Amazon EUA para armazenamento e entrega. Uma rede de prestadores de serviços também vai auxiliar nas etapas vendas e frete. Veja mais informações.

Por fim, o marketplace lançou o Programa de Recompensas do Vendedor, em que os vendedores parceiros são beneficiados financeiramente ao adotarem melhores práticas na plataforma.

"Cada vendedor poderá acompanhar as promoções disponíveis, podendo participar daquelas que forem mais interessantes para seu negócio. Se o vendedor realizar as tarefas como, por exemplo, aderir a um programa de logística ou a alguma ferramenta de precificação recomendados para sua loja, poderá ser recompensado por essas ações", explica Ricardo Garrido, diretor da loja de vendedores parceiros da Amazon Brasil.

Guerra de gigantes do marketplace

As novidades da Amazon chegam quase dois meses depois de o Magalu lançar uma série de programas para os vendedores que comercializam no marketplace. Além de taxas mais baixas a empreendedores, a companhia passou a oferecer três maquininhas para comerciantes, conta para pessoas jurídicas e descontos progressivos.

Um dia antes desse anúncio, a empresa chinesa AliExpress comunicou que abriria a plataforma para lojistas brasileiros com taxas de 5% a 8% e frete grátis para compras acima de R$ 50.

Nessa disputa pela atenção dos pequenos empreendedores, o Mercado Livre é outro forte concorrente - e não é de agora. Em 2018, o e-commerce recebeu aporte de R$ 245 milhões com foco na oferta de crédito para pequenos negócios que atuam na plataforma.

A empresa também tem investido na capacitação dos donos de negócio em venda online e incentivado a formalização dos vendedores a fim de ampliar o uso dos serviços de entrega, que são destinados apenas a quem tem CNPJ. A logística é outro foco de atenção da empresa, que destina a maior parte dos R$ 10 bilhões a serem investidos em 2021 para este braço da cadeia de venda.

Quer debater assuntos de Carreira e Empreendedorismo? Entre para o nosso grupo no Telegram pelo link ou digite @gruposuacarreira na barra de pesquisa do aplicativo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.